Alto endividamento da GOL levanta apostas em venda de ativos

Companhia tem o maior endividamento entre as grandes empresas aéreas do mundo em relação ao lucro

São Paulo – O endividamento de US$ 1,6 bilhão da GOL Linhas Aéreas Inteligentes SA, o maior entre as grandes empresas aéreas do mundo em relação ao lucro, tem esquentado apostas de que a empresa venderá ativos para levantar recursos ou se juntará a outra companhia aérea.

A dívida líquida equivalia a 25 vezes o Ebitda da GOL nos 12 meses encerrados em 30 de junho, a maior entre as 31 empresas do setor aéreo com valor de mercado acima de US$ 1 bilhão, segundo dados compilados pela Bloomberg. Na Latam Airlines Group SA, a relação é de 3,4 vezes, na United Continental Holdings Inc., 1,3 vez, e na Ryanair Holdings Plc, 0,2 vez, a menos endividada do mundo.

A GOL nomeou um novo presidente, reduziu postos de trabalho e eliminou voos depois de registrar prejuízo líquido em quatro dos últimos cinco trimestres e de perder participação de mercado para a TAM, hoje operada pela Latam Airlines. A GOL prepara a oferta pública inicial de ações da Smiles, que administra seu programa de milhagem, no segundo semestre de 2013, disse uma pessoa familiarizada com a transação à Bloomberg em 15 de agosto.

“Eu não gostaria de estar na pele deles”, disse Eric Conrads, que ajuda a administrar US$ 1 bilhão em ações na ING Groep NV, em entrevista por telefone de Nova York. “Eles podem até elevar os preços das passagens, mas não são os líderes de mercado e isso significa que terão de sacrificar mais market share. Eles não estão em posição de sacrificar participação de mercado neste momento.”

A GOL subiu 1,4 por cento, para R$ 9,70, em 31 de agosto, reduzindo sua queda acumulada no ano para 22 por cento, comparada ao ganho de 0,5 por cento do Ibovespa.