Alibaba brilha em Wall Street e bate recorde em estreia

O gigante do comércio eletrônico asiático estreou na bolsa de Nova York (NYSE) superando todas as previsões

Nova York – O grupo chinês Alibaba escreveu nesta sexta-feira um novo capítulo na história do mercado financeiro ao iniciar sua participação em Wall Street superando a casa dos US$ 22 bilhões com sua oferta pública de ações.

O gigante do comércio eletrônico asiático estreou na bolsa de Nova York (NYSE) superando todas as previsões: as vendas das ações foram iniciadas a US$ 92,7, quase 37% maiores que o preço da oferta.

Os preços foram fechados em US$ 93,89, alta de 38,07% frente às cotações estabelecidas para o OPV.

Um dia antes, os responsáveis da Alibaba tinham comunicado à Comissão da Bolsa de Valores (SEC, na sigla em inglês) que fixavam o preço final de seu OPV em US$ 68.

Com o valor, eles previam uma arrecadação de pelo menos US$ 21,8 bilhões, novo recorde de Wall Street.

“Há 14 anos, perguntei para minha esposa se ela queria que eu fosse um homem rico ou um empresário respeitado. Ela, evidentemente, respondeu um empresário respeitado porque nunca pensou que eu ficaria rico”, disse o fundador do Alibaba, Jack Ma, enquanto sua companhia se preparava para fazer história.

Antes da esperada estreia, os analistas da bolsa nova-iorquina fizeram uma primeira estimativa que fixava o preço das ações do grupo chinês entre US$ 80 e US$ 83.

O tempo foi passando e as previsões subiam, passando para US$ 82 e US$ 85, depois para US$ 87 e US$ 89 e, finalmente, alcançando o patamar de US$ 91 e US$ 93.

Só nos 15 primeiros minutos de abertura do mercado foram compradas mais de 127 milhões de ações, superando os 110 milhões da estreia do Twitter, no ano passado, embora ainda longe dos 567 milhões de ações negociadas no primeiro dia do Facebook na bolsa.

Duas horas depois de desembarcar em Wall Street, o Alibaba estava cotado em US$ 228 bilhões, atrás de outros gigantes, como a Apple, avaliada em US$ 609 bilhões, ou o Google, com valor de US$ 400 bilhões.

O gigante do comércio eletrônico chinês, cuja as ações chegaram a superar os US$ 99 durante o dia, ultrapassa assim um de seus grandes rivais, a Amazon, que vale cerca de US$ 151 bilhões, ou o Facebook, avaliado em US$ 200 bilhões.

O executivo-chefe do Alibaba disse estar muito “honrado e feliz” com o resultado.

“Nossa principal prioridade segue sendo os nossos clientes, na frente dos empregados e dos acionistas. Hoje o importante não é o dinheiro, mas sim que as pessoas confiam em nós”, afirmou Ma ao canal financeiro CNBC, e acrescentou que espera que sua empresa seja “maior que o Walmart” e seja parecida com a IBM ou a Microsoft.

O empresário revelou também que cumpriu seu “sonho americano” e afirmou ser fã do personagem “Forrest Gump”, protagonizado por Tom Hanks nos anos 90.

“Já vi o filme umas dez vezes, e também o assisti antes de vir à Nova York”, acrescentou.

A empresa que fundou há 15 anos em um apartamento na sua cidade natal, Hangzhou, após pedir um empréstimo de US$ 60 mil, conta na atualidade com 279 milhões de usuários ativos em mais de 190 países.

O Alibaba, que no ano passado lucrou US$ 3,7 bilhões, emprega 25 mil pessoas encarregadas de operar o portal Alibaba.com e o motor de busca eTao, além de ter sua própria tecnologia de pagamentos pela internet, o Alipay.