Ágora reduz estimativa de ganhos com ações da Braskem

Alta nos preços das matérias-primas, cenário econômico desfavorável e incorporação de ativos da Petrobras reduzem a atratividade dos papéis

Os investidores devem esperar ganhos menores com as ações da Braskem. A corretora Ágora revisou nesta quarta-feira (16/7) suas projeções para as ações preferenciais (BRKM5) da petroquímica. O potencial de valorização dos papéis, que era de 48,5% até o final do ano, caiu para 26,3%, com o preço-alvo de 16,50 reais em dezembro.

A corretora considerou em sua análise três variáveis: a alta nos preços das matérias-primas, o cenário econômico menos favorável e a incorporação de ativos petroquímicos da Petrobras. Juntos, esses fatores devem provocar uma queda de 25,5% nos ganhos antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) em 2008. Já o lucro líquido, pelos cálculos da instituição, deve sofrer um impacto ainda maior: redução de 63%, passando de 567 milhões de reais em 2007 para 211 milhões de reais em 2008. “A redução esperada no lucro líquido é fruto da queda do resultado operacional e da piora do resultado financeiro”, explica a Ágora.

Apesar dos resultados aquém dos previstos, a corretora recomenda a manutenção dos papéis, destacando que “a Braskem, desde a sua criação, vem implementando importantes movimentos societários, além de programas de redução de custos e aumento de confiabilidade operacional”. A companhia é líder no segmento de resinas termoplásticas na América Latina e oferece aos minoritários o direto de receber, em caso de troca de controle acionário, o mesmo valor pago aos acionistas controladores (tag along de 100%).

Em 2008, os papéis preferenciais da Braskem acumulam queda de 5,22%, ante 4,49% do Ibovespa. Às 13h42, as ações eram negociadas em alta de 4,13% na Bovespa, cotadas a 13,60 reais.