Ágora recomenda a compra das ações da Aliansce e Iguatemi

Corretora alterou as projeções de preços-alvos para ambas as companhias após incorporar os resultados do 2º trimestre

São Paulo – Após avaliar os resultados apresentados no segundo trimestre, a equipe de pesquisa da Ágora Corretora manteve a recomendação de compra para as ações das administradoras de shoppings centers Iguatemi (IGTA3) e Aliansce (ALSC3), embora tenha ampliado o preço-alvo de uma e reduzido a projeção de outra, citando o modelo de negócios de cada empresa.

Em relatório, o analista Wilson Lapa elevou o preço-alvo para os papéis ordinários da Iguatemi de 49,50 reais para 51 reais até o final de 2011, o que representa um potencial de valorização de 44,88% frente à cotação de 35,20 reais vista no fechamento do pregão de ontem.

Lapa justifica que a Iguatemi deve continuar a “apresentar forte crescimento, com destaque para expansão de sua área bruta locável (ABL), inclusive pela abertura de cinco shopping centers”, além da ampliação de outros quatro.

A Ágora prevê ainda que a companhia deve registrar forte crescimento das receitas, principalmente por conta do Iguatemi JK (cuja inauguração está prevista para março de 2012) e também do Iguatemi Alphaville (inaugurado em abril de 2011).

Em relação à Aliansce, o analista Wilson Lapa cortou o preço-alvo de 18,50 reais para 17 reais até o final do ano, o que corresponde a um potencial de alta de 30,76% diante da cotação de 13 reais vista no encerramento da sessão de ontem.

A razão para a redução no preço-alvo está na postura mais conservadora adotada pelo analista em relação à Aliansce. Lapa destaca a estratégia “competitiva” da empresa de focar na expansão de seus shoppings ao invés de realizar aquisições.

Este modelo de negócio faz com que “retorno para este tipo de operação leve em média dois anos”, afirmou. Diante deste cenário, ele projeta que a evolução na receita da empresa deve apenas ocorrer a partir de 2013.

Novas estimativas

Ao mesmo tempo em que a Ágora ampliou as projeções de Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) da Aliansce em 2011 e 2013, como consequência da alteração dos lançamentos e da adoção de novas expansões anunciadas recentemente, a corretora cortou as estimativas de Ebitda da Iguatemi em 2011 e 2012, principalmente em função do adiamento de alguns lançamentos e o reconhecimento de despesas não recorrentes.