Agência de risco Fitch eleva rating da operadora de cartões Redecard

Decisão reflete a melhora dos riscos de contrapartes associadas ao sistema bancário brasileiro

São Paulo – A Fitch Ratings elevou na noite de sexta-feira (8) os IDRs (Issuer Default Ratings ou ratings de probabilidade de inadimplência do emissor) em moeda estrangeira e local da Redecard (RDCD3), de BBB para BBB+, e afirmou a nota de longo prazo da companhia em AAA(bra). A perspectiva dos ratings corporativos é estável.

“A elevação dos ratings reflete a melhora dos riscos de contrapartes associada ao sistema bancário brasileiro, já que mais de 95% das transações de crédito e débito são realizadas por meio de bancos com grau de investimento”, informa a Fitch em comunicado assinado pela analista Fernanda Rezende.

Em paralelo a estas ações, a agência de classificação de risco afirmou também rating nacional de curto prazo F1+(bra) da segunda série da sétima emissão de nota promissória, no valor de 362 milhões de reais, com vencimento em 25 de abril de 2011.

A Fitch atribui ainda o rating nacional de curto prazo F1+(bra) à proposta da Redecard de emissão do oitavo programa de notas promissórias, avaliado em 2 bilhões de reais, com a primeira série, de 650 milhões de reais, com vencimento em 300 dias; a segunda, também de 650 milhões de reais, vencendo em 330 dias; e a terceira, de 700 milhões de reais, em 360 dias.

“Os ratings da Redecard também incorporam a previsibilidade de sua receita, gerada por uma diversificada base de comerciantes afiliados à empresa; a forte presença na indústria de cartões de pagamento no Brasil; e a posição de seus negócios, que permite margens e capacidade de geração de fluxo de caixa fortes”, completou Fernanda.