Ações se recuperam conforme tensões sobre Ucrânia diminuem

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações do continente, terminou com alta de 2 por cento, a 1.344 pontos

As ações europeias subiram nesta terça-feira, revertendo boa parte das fortes perdas da sessão anterior, depois que o presidente russo Vladimir Putin disse que só usará a força na Ucrânia como último recurso.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações do continente, terminou com alta de 2 por cento, a 1.344 pontos, enquanto o índice da zona do euro Euro STOXX 50 registrou ganho de 2,7 por cento, a 3.136 pontos.

Os dois índices haviam recuado 2,2 e 3 por cento respectivamente na segunda-feira, depois que tropas russas tomaram o controle de importantes localidades na região ucraniana da Crimeia.

As primeiras declarações de Putin sobre a crise buscaram aliviar a tensão entre o Oriente e o Ocidente e temores de uma guerra na ex-república soviética, o que ajudou a alimentar uma recuperação nas ações em todo o mundo.

“Se pudermos evitar uma escalada militar e grandes repercussões em coisas como transporte de gás, acho que os mercados vão rapidamente começar a focar em outros tópicos de novo, como o crescimento da China e dos EUA”, disse Johannes Müller, diretor de investimento para Alemanha da Deutsche Asset & Wealth Management.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 1,72 por cento, a 6.823 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX ganhou 2,46 por cento, para 9.589 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 avançou 2,45 por cento, para 4.395 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 3,62 por cento, para 20.475 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 subiu 2,51 por cento, para 10.126 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em alta de 2,5 por cento, para 7.369 pontos.

REUTERS CMO LG