Ações recuam após S&P e Dow renovarem recordes

Decisão do Fed foi acompanhada pela sinalização expansionista de que as taxas de juros continuarão praticamente zeradas pelo período de tempo relevante

São Paulo – As ações dos Estados Unidos recuavam nesta quinta-feira, afastando-se das máximas históricas estabelecidas pelos índices Standard & Poor’s 500 e Dow Jones após o Federal Reserve, banco central do país, afirmar que a economia está forte o suficiente para dar início à redução do imenso programa de estímulos.

Às 14h51 (horário de Brasília), o índice Dow Jones recuava 0,07 por cento, para 16.156 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 tinha desvalorização de 0,21 por cento, para 1.806 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caía 0,32 por cento, para 4.057 pontos.

A decisão do Fed na quarta-feira de cortar o ritmo de compras mensais de títulos em 10 bilhões de dólares, a 75 bilhões de dólares a partir de janeiro, foi acompanhada pela sinalização expansionista de que as taxas de juros continuarão praticamente zeradas pelo período de tempo relevante. Essa combinação agradou compradores e ajudou o S&P 500 e o Dow a registrarem o maior ganho em dois meses.

“Fui surpreendido pela decisão do Fed e animado pela reação do mercado”, disse o vice-presidente de investimentos do BMO Private Bank, Jack Ablin. “Hoje temos um recuo normal após a grande oscilação. Investidores querem desmontar as apostas”.

Uma série mista de dados mostrou que o número de norte-americanos que entrou com novos pedidos de auxílio-desemprego subiu na semana passada para a máxima em quase nove meses e as revendas de moradias caíram à mínima em quase um ano. Já o termômetro do Fed de Filadélfia da atividade manufatureira teve leve alta em dezembro.

Ablin disse que os dados desta quinta-feira não pioram sua perspectiva e ele espera que o S&P tenha retorno de cerca de 7 por cento no próximo ano.