Ações europeias fecham em baixa e Draghi pesa

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou em queda de 0,09%, aos 1.044 pontos

Londres – As ações europeias recuaram de suas máximas em dois meses para fechar com ligeiras quedas nesta quinta-feira, após bancos centrais terem anunciado medidas para impulsionar o crescimento dos lucros de investidores, enquanto indicadores melhores diminuíram chances de mais estímulos nos Estados Unidos.

Segundo dados preliminares, o índice FTSEurofirst 300 , que reúne as principais ações europeias, fechou em queda de 0,09 por cento, a 1.044 pontos. Mais cedo, o indicador chegou a registrar 1.054 pontos, sua máxima desde maio, depois de o Banco Central chinês surpreender o mercado com corte nos juros. O Banco Central Europeu (BCE) também reduziu sua taxa, enquanto o Banco da Inglaterra (BC britânico) lançou mais estímulos monetários, como esperado.

Mas comentários decepcionantes do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sobre as perspectivas econômicas e uma ausência de indicações de que mais afrouxamento monetário estaria a caminho também pesaram nos resultados desta quinta-feira, com os yields (rendimentos) da dívida de Espanha e Itália em alta e seus principais índices acionários em queda de 3,2 por cento e 2 por cento, respectivamente.

“Bancos centrais fizeram o que era esperado. Eu classificaria os anúncios como positivos, mas o mercado também experimentou alguma realização lógica de lucros depois de uma forte série nos últimos dias”, afirmou o chefe de pesquisa do BNP Fortis Global Markets, Philippe Gijsels.

Os bancos da zona do euro suportaram o peso das vendas generalizadas, com o índice do setor em baixa de 2,9 por cento. Outros setores ligados ao crescimento econômico, que tiveram fortes performances recentemente em antecipação às ações de bancos centrais, também perderam. Os indicadores dos papéis de construção e químicos encerraram com baixas de 1 por cento.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou com alta de 0,14 por cento, a 5.692 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX perdeu 0,45 por cento, para 6.535 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 recuou 1,17 por cento, a 3.229 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve queda de 2,03 por cento, para 14.088 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 perdeu 2,99 por cento, a 6.954 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 caiu 1,67 por cento, para 4.863 pontos.