Ações do Twitter caem por perspectiva de crescimento mais lento

Com custos também podendo aumentar, notícia ofuscou bom resultado da companhia no primeiro trimestre

As ações do Twitter chegaram a cair cerca de 5 por cento nesta quarta-feira, depois que a rede social disse que o crescimento da receita vai desacelerar neste ano e os custos vão aumentar à medida que a empresa combate a disseminação do discurso de ódio e alegações de manipulação eleitoral.

Essa perspectiva ofuscou o segundo trimestre mais lucrativo da história da empresa de 12 anos, superando as estimativas de Wall Street em receita, lucro e usuários ativos mensais, enquanto anunciantes na Ásia e outros mercados fora dos Estados Unidos adotaram anúncios em vídeo.

O crescimento da receita para o restante de 2018 será similar às taxas mais lentas de 2016, disse o Twitter. A empresa informou que seu número de usuários ativos diários, uma medida observada de perto, cresceu 10 por cento ano a ano, um ritmo mais lento de crescimento de 12 a 14 por cento mantidos nos últimos trimestres.

Esse crescimento mais lento dos usuários “assustou os investidores”, disse Michael Pachter, analista da Wedbush Securities.

O Twitter disse que espera aumentar sua força de trabalho em 10 a 15 por cento em 2018 para tornar as discussões sobre o serviço mais civilizadas, aumentar as vendas de anúncios e atender a outras prioridades. O Twitter reduziu seu corpo de funcionário em 6 por cento no ano passado.

Às 16h27 (horário de Brasília) as ações da empresa eram negociadas em queda de 4 por cento, a 29,24 dólares na Bolsa de Valores de Nova York. Até o fechamento de terça-feira, os papíes acumulavam alta de 26,9 por cento no ano, ante queda de 1,5 por cento do S&P 500.

Veja também