Ações do Pão de Açúcar ficam estáveis após possível compra do Assai

Rede de Abílio Diniz deve anunciar nos próximos dias a aquisição da atacadista

A notícia de que o Pão de Açúcar deve concluir nos próximos dias a compra da rede atacadista Assai não teve grande influência sobre as ações da rede de Abílio Diniz. As ações preferenciais do Pão de Açúcar finalizaram o dia com uma ligeira queda, de 0,1%, cotadas a 27,67 reais.

O Assai fatura cerca de um bilhão de reais. Estima-se que a aquisição custe aproximadamente 400 milhões de reais. Na manhã desta quarta-feira, segundo apurou EXAME, funcionários do Pão de Açúcar já visitavam unidades do Assai para iniciar o processo de absorção. Procurado, o Pão de Açúcar não se manifestou sobre o assunto.

O Assai foi fundado em 1974 e tem 14 lojas espalhadas pelo estado de São Paulo. Com a aquisição, a rede de Abilio Diniz volta a encostar na liderança do setor, perdida em abril para o Carrefour – quando os franceses compraram a rede Atacadão. Somadas, as receitas de Carrefour e Atacadão no ano passado atingem 17,9 bilhões de reais. Pão de Açúcar e Assai chegariam a cerca de 17,6 bilhões de reais em receitas.

Para o Pão de Açúcar, porém, a compra do Assai significa muito mais que a volta à briga pelo primeiro lugar. A rede era a única das três grandes que não tinha nenhuma participação no segmento de mercado que mais cresce no varejo brasileiro: o formato cash and carry, também conhecido como “atacarejo”. Com lojas simples e preços baixos, essas redes atraem consumidores de baixa renda e pequenos comerciantes — e, mais importante, crescem a taxas que chegam a dois dígitos. Enquanto isso, os super e hipermercados tradicionais vêm tendo baixíssimo crescimento no país.

A compra do Atacadão, que faturava cerca de 5 bilhões de reais, tornou o Carrefour o líder absoluto nessa faixa. O Wal-Mart, terceiro maior do país, também conta com um modelo semelhante no sul do país, a rede Maxxi, e pretende levá-la a outras regiões do país para impulsionar seu crescimento. Até agora, somente o Pão de Açúcar ficava de fora desse nicho.

O Pão de Açúcar foi um dos favoritos à compra do Atacadão, mas perdeu na reta final e não conseguiu entrar no “atacarejo”. Nos últimos anos, a rede vem fazendo reestruturações em série com objetivo de aumentar a rentabilidade e crescer. Os resultados, porém, têm decepcionados os investidores: as ações do Pão de Açúcar estão entre as de pior desempenho entre aquelas que compõem o Ibovespa.