Ações do PanAmericano serão negociadas 30% abaixo do previsto

Papéis tiveram seu preço inicial fixado em R$ 10, permitindo ao banco de Silvio Santos captar R$ 680 milhões

As ações do Banco PanAmericano, pertencente ao Grupo Silvio Santos, tiveram seu preço inicial fixado em 10 reais, abaixo do mínimo previsto pelos coordenadores da oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês). A estimativa do banco UBS Pactual era de que os papéis estreassem cotados entre 12,50 reais e 15 reais.

Com isso, o banco do empresário Silvio Santos levantará 680 milhões de reais com sua abertura de capital, cerca de 30% menos que o projetado considerando o valor médio previsto para a ação, que era de 13,75 reais. Há, porém, a possibilidade de exercício do lote suplementar, que pode elevar a captação em 97 milhões de reais .

Os pedidos de reserva dos investidores de varejo foram integralmente atendidos até 3.280 reais, que correspondem a 328 ações. O resultado do bookbuilding (processo de fixação de preço das ações) mostra que os investidores não estão tão otimistas com a instituição quanto os analistas. Para os especialistas, o PanAmericano têm tudo para ser um dos grandes sucessos da Bolsa. ” Ele é um dos melhores entre os bancos médios e atua exatamente no filet mignon do crédito atualmente: o financiamento ao consumo voltado para média e baixa renda”, disse Antonio Bento Furtado de Mendonça Neto, sócio da consultoria Solving do Brasil, quando veio a público a informação de que o banco faria IPO.

Outro ítem apontado como diferencial pelo especialista é o fato de o PanAmericano já ter nascido com o objetivo de financiar bens para a população. “Enquanto os grandes bancos foram obrigados a criar ou comprar financeiras para atender o segmento de baixa renda, o PanAmericano já nasceu com esse perfil, e hoje conhece muito bem o seu público”, diz.

A estréia do banco de Silvio Santos na Bovespa está prevista para o próximo dia 19 de novembro, sob o código BPNM4.