Ações do PanAmericano disparam 7%

Desempenho confirma previsão dos especialistas, que esperavam bom desempenho para os papéis na Bolsa

As ações do Banco PanAmericano, pertencente ao Grupo Silvio Santos, estrearam na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) nesta segunda-feira apresentando forte alta. Às11h36, os papéis preferenciais da instituição eram negociados a 10,66 reais, valorizados em 6,6%, depois de terem atingido a máxima até o momento de 10,79 reais.

Os especialistas já vinham prevendo um bom desempenho para a instituição na Bolsa. Mesmo após a fixação do preço inicial das ações em 10 reais, abaixo do piso de 12,50 reais previsto pelos coordenadores da oferta pública inicial (IPO, em inglês), as perspectivas eram otimistas. “O baixo valor das ações representa uma oportunidade para os investidores. A instituição é uma das melhores do segmento de bancos médios”, diz Antonio Bento Furtado de Mendonça Neto, sócio da consultoria Solving do Brasil.

Para Mendonça Neto, um provável motivo para a fixação do preço inicial abaixo do piso é a crise do crédito hipotecário nos Estados Unidos, que teria afugentado os investidores. “Apesar de o setor financeiro brasileiro ser muito bom, a crise do subprime gerou um certo trauma nos investidores. E, como a maior parte deles é estrangeira, isso refletiu diretamente no preço do papel”, afirma o especialista.

Nas últimas semanas, grandes instituições financeiras, como Citigroup, Merrill Lynch, UBS e Credit Suisse divulgaram perdas de bilhões de dólares com ativos subprime, mostrando que o estrago é muito maior do que se imaginava. Pelas estimativas do Deutsche Bank, os prejuízos podem chegar a 400 bilhões de dólares.