Ações do Banco Inter sobem 25% desde notícia sobre parceria com a Uber

Recentes valorizações, porém, não são suficientes para reverter últimas perdas

As ações do Banco Inter entraram em forte movimento de alta após notícias sobre um possível acordo com o Uber. As informações foram publicadas na sexta-feira (11) pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela agência Reuters.

Desde então, a ação ordinária do banco mineiro chegou a se valorizar pouco mais 25%. Na sexta, o papel subiu 13,52%. O movimento teve continuidade após o fim de semana e às 13h15 desta segunda, ativo se valorizava 10,85% e era negociado a 17,68 reais.

As ações preferenciais da companhia, com maior liquidez, tinham menor valorização e subiam 4,73% por volta do mesmo horário, acumulando alta de pouco mais de 10% desde o dia em que as notícias foram veiculadas.

O acordo tende a ser positivo para as duas empresas, já que ambas têm o mesmo sócio, o grupo japonês SoftBank. Segundo o Estado, as conversas envolveriam a prestação de serviços financeiros ao Uber, que vem sofrendo com os custos das tarifas de cartões de crédito. A Reuters, por outro lado, enfatizou que a parceria deve ter como alvo os motoristas do aplicativo e que visa impulsionar os negócios do Banco Inter.

Com as recentes valorizações, os papeis do Inter com maior liquidez acumulam alta de mais de 170%. Embora o desempenho anual tenha ficado bem acima da média da Bolsa, o ativo vinha passando por desvalorizações constantes e ainda acumula perdas em outubro. No mês de setembro, a ação preferencial do Banco Inter se depreciou 4,89% e as ordinárias 8,39%.