CEO do Groupon está com o filme queimado no mercado

Andrew Mason consegue apoio da diretoria, mas o filme está muito queimado com o mercado

São Paulo – O “Dia do Fico” do CEO do Groupon não agradou aos investidores da empresa. O desapontamento com ele não é nenhuma novidade. Na verdade, o mercado tem torcido o nariz para Andrew Mason desde o dia 7 de novembro do ano passado, uma sessão após a venda inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). A ira só não começou no dia da estreia porque as ações subiram 50%.

Mas, de lá para cá, o cenário é terrível e a queda chega a 85%. Os números mostram o quão queimado está o filme de Mason no mercado. As ações (GRPN) dispararam 11% na quarta-feira desta semana, dia em que seu cargo foi colocado em xeque. “Se eu pensasse, por algum momento, que eu não era o cara certo para o cargo, eu seria o primeiro a me demitir”, disse.

O desempenho do executivo à frente da inovadora empresa de compras coletivas foi avaliado em uma reunião do Conselho de Administração e revelado na quinta-feira. A decisão de mantê-lo no cargo veio como uma bomba para quem apostou em uma mudança de rumos. O resultado: as ações do Groupon despencam quase 10% nesta sexta-feira.

Desempenho das ações em um ano:

Histórico

A euforia com o maior site de compras coletivas em receitas do mundo começou a cair trimestre a trimestre. Na noite de quinta-feira mais uma rodada de resultados ruins. A companhia, que chegou a valer 13 bilhões de dólares, hoje negocia a 1,8 bilhão de dólares.

A receita chegou a 568,6 milhões de dólares no terceiro trimestre, contra 430,2 milhões um ano antes. A estimativa de analistas consultados pela Reuters era de 590 milhões de dólares. No período, o prejuízo líquido foi de 3 milhões de dólares. A Europa teve o pior desempenho.

IPO inflado

A oferta inicial de ações do Groupon foi uma das maiores da história e, para muitos, pode ter sido inflada por conta de uma estratégia utilizada. Andrew Mason, fundador e CEO, optou por disponibilizar apenas uma pequena fração da sua companhia para os interessados. A demanda por ação foi 10 vezes maior que a oferta e o preço saltou.

A fatia de 4,7% foi a menor desde 2000 para um IPO que almejava arrecadar mais de 200 milhões de dólares. Em uma oferta tradicional os investidores têm a disposição entre 20 e 25% da empresa. Ou seja, ao contrário de aumentar a oferta, Mason estaria interessado em aumentar o preço de cada papel.