Ações de energia dão fôlego à Wall Street

Preços do petróleo saltavam após os Estados Unidos e seus aliados parecerem prontos para atacar a Síria

São Paulo – As ações de energia davam fôlego à Wall Street nesta quarta-feira, à medida que os preços do petróleo saltavam após os Estados Unidos e seus aliados parecerem prontos para atacar a Síria, aumentando as precoupações sobre a oferta global de petróleo.

Às 12h37 (horário de Brasília), o indicador Dow Jones subia 0,27 por cento, a 14.815 pontos, enquanto que o S&P 500 avançava 0,32 por cento, a 1.635 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq tinha ganhos de 0,42 por cento, a 3.593 pontos.

O índice S&P 500 caiu 2 por cento nos últimos dois dias e o índice de volatilidade CBOE subiu 20 por cento, refletindo as incertezas dos investidores.

A pressão de venda diminuiu depois que as ações tiveram o seu pior dia desde junho na sessão anterior em meio ao aumento das tensões sobre uma possível resposta do Ocidente a um suposto ataque de armas químicas contra civis sírios por parte do governo do presidente Bashar al-Assad.

As vendas generalizadas de terça-feira “provavelmente foram uma reação exagerada ao que vemos agora na Síria”, afirmou o estrategista-chefe de ações do Wells Fargo Funds Management, John Manley. Ele disse, no entanto, que as consequência de qualquer conflito são desconhecidas e as vendas podem apenas ter começado.

O índice de energia S&P tinha alta de 1,68 por cento, liderando a lista dos dez principais setores do S&P. A Chevron, que subia 2,12 por cento, para 121,33 dólares, e a Exxon Mobil, que avançava 1,91 por cento, a 88,48 dólares, estavam entreas principais performances no S&P 500.