Ações da Hypermarcas despencam 10,4% após resultados

Analistas temem que as despesas coloquem o resultado de 2011 em risco

São Paulo – As ações ordinárias da fabricante de bens de consumo Hypermarcas (HYPE3) caíram forte no pregão desta segunda-feira (9) após ter anunciado pela manhã um resultado trimestral inferior ao estimado pelo mercado. Os papéis recuaram 10,3%, para 18,17 reais. Foi a maior queda do Ibovespa, principal índice de ações do mercado brasileiro, no dia.

A empresa teve um lucro líquido de 32,9 milhões de reais no primeiro trimestre deste ano, 40,3% a menos do que os 55,2 milhões de reais registrados no mesmo período de 2010. O resultado foi pressionado por um aumento de despesas operacionais decorrente das aquisições realizadas pela companhia em 2010.

“Devido às diversas aquisições realizadas (pela Hypermarcas) em 2010, itens não recorrentes como os vistos este trimestre devem representar um maior risco para o resultado de 2011”, explica Francisco Ferrazzi Kops, analista da Planner Corretora.

A Hypermarcas consolidou no primeiro trimestre de 2011 a compra da Mantecorp e da Mabesa e também mudou sua previsão de investimentos para 2011. A empresa vai usar como guidance o valor nominal do Ebitda (lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) e a expectativa é que o valor seja superior a 1 bilhão de reais neste ano.

Claudio Bergamo, diretor presidente da Hypermarcas, disse hoje em teleconferência que a empresa calcula sinergias de 257 milhões de reais para as aquisições que realizou desde 2010. Desse total a empresa capturou 61% – 156 milhões de reais. “O serviço mais difícil já foi feito”, disse.