Ações da BM&FBovespa abrem em queda após cobrança da Receita Federal

Papéis chegaram a cair 2,58% com a cobrança de até R$ 410 milhões em impostos não pagos

São Paulo – A cobrança por irregularidades com ganhos fiscais levantada pela Receita Federal contra a BM&FBovespa (BVMF3) derrubou as ações da companhia no pregão desta terça-feira (30). Os papéis chegaram a cair 2,58% durante a abertura do pregão, negociados a 13,17 reais.

Na segunda-feira, a Receita Federal encaminhou à bolsa auto de infração efetuando a cobrança de imposto de renda de pessoa jurídica (IRPJ) e contribuição social sobre lucro líquido (CSLL) não recolhidos nos exercícios de 2008 e 2009, num total de 410 milhões de reais.

O auto de infração aponta uma suposta inconsistência do critério utilizado para avaliação do patrimônio líquido da Bovespa Holding S.A., para efeito de apuração do valor do ágio.

A bolsa nacional negou as acusações em nota oficial na manhã desta terça (29). “A BM&FBOVESPA apresentará impugnação ao referido auto de infração no prazo regulamentar, e reafirma seu entendimento de que o ágio gerado na incorporação de ações de emissão da Bovespa Holding S.A. foi constituído regularmente”.

Às 11h30, o Ibovespa operava em baixa de 0,9%, na casa dos 67.395 pontos.