Ações na Europa atingem novas máximas com dados da Alemanha

Melhora na atividade no setor privado alemão e maior otimismo sobre a crise levaram os principais índices europeus a subir

Londres – As ações europeias alcançaram novas máximas nesta quinta-feira devido a sinais de crescimento na Alemanha, o motor econômico da região, que fortaleceram expectativas de que a crise de dívida da região possa estar diminuindo.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne os principais papéis do continente, fechou com alta de 0,27 por cento, a 1.170 pontos, nova máxima de fechamento em 2013 e perto do nível mais alto desde o início de março de 2011.

O índice de blue chips da zona do euro Euro STOXX 50 avançou 0,54 por cento, para 2.722 pontos, com as bolsas de valores sendo impulsionadas ainda mais após o índice norte-americano S&P 500 superar o importante nível de 1.500 pontos pela primeira vez desde dezembro de 2007.

O índice alemão DAX registrou valorização de 0,53 por cento, para 7.748 pontos, auxiliado por um levantamento que mostrou que a atividade do setor privado alemão alcançou seu melhor nível em um ano em janeiro.

Operadores e investidores continuaram confiantes de que as ações europeias vão avançar ainda mais neste ano, apesar de sinais de fraqueza econômica na França.


“Nós estamos bastante concentrados em papéis alemães. A economia ainda parece forte”, disse o executivo de vendas de ações europeias do Mirabaud Securities, Rupert Baker.

“As pessoas querem ver o copo meio cheio”, acrescentou.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 1,09 por cento, a 6.264 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 0,53 por cento, para 7.748 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 0,70 por cento, para 3.752 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve valorização de 1,01 por cento, para 17.756 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 avançou 0,61 por cento, para 8.665 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em queda de 0,87 por cento, para 6.282 pontos.