Ações europeias ampliam rali com expectativas sobre BCE

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou com ganhos de 0,70%, aos 1.090 pontos

Londres – As ações europeias fecharam em alta nesta segunda-feira, ampliando o rali da sessão anterior, com a expectativa de investidores de novas medidas de estímulo por parte de bancos centrais ofuscando dados manufatureiros sombrios na China.

Segundo números preliminares, o índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações europeias, fechou com ganhos de 0,70 por cento, aos 1.090 pontos, enquanto o indicador das blue chips da zona do euro STOXX 50 encerrou com avanço de 0,80 por cento, para 2.459 pontos.

O volume de operações foi reduzido, sob o impacto da ausência de negociações nos mercados norte-americanos nesta segunda-feira devido ao feriado local do Dia do Trabalho.

O rali foi amplamente disseminado, com as ações do grupo farmacêutico francês Sanofi ganhando 2 por cento, e as do banco italiano UniCredit em alta de 1,7 por cento.

A leitura final do Índice de Gerentes de Compras (PMI) da indústria da China para agosto caiu para 47,6 em dados ajustados sazonalmente, menor nível desde março de 2009, sinalizando que o ritmo do crescimento da segunda maior economia do mundo vai enfraquecer também no terceiro trimestre.

Dados mostraram também nesta segunda-feira que o setor industrial da zona do euro contraiu-se mais rápido do que o esperado no mês passado, apesar de as indústrias terem reduzido preços.

Investidores, no entanto, continuaram a focar no encontro de política monetária desta semana do Banco Central Europeu (BCE), durante o qual é esperada a revelação de detalhes de um programa para compra de títulos de Espanha e Itália, para ajudar reduzir os custos de empréstimos de ambos os países e aliviar a crise da dívida da região.

Apesar dos ganhos desta segunda-feira, o estrategista François Chevallier, do Banque Leonardo, advertiu que as ações terão dificuldades para ampliar o rali iniciado no fim de julho.


“O risco agora é o lado negativo, se investidores ficarem desapontados com o programa do banco central ou as condições associadas a ele”, completou.

Em LONDRES, o índice Financial Times subiu 0,82 por cento, a 5.758 pontos.
Em FRANKFURT, o índice DAX avançou 0,63 por cento, para 7.014 pontos.
Em PARIS, o índice CAC-40 teve valorização de 1,19 por cento, a 3.453 pontos.
Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve ganhos de 1,10 por cento, para 15.267 pontos.
Em MADRI, o índice Ibex-35 subiu 0,18 por cento, a 7.434 pontos.
Em LISBOA, o índice PSI20 teve alta de 1,33 por cento, para 5.065 pontos.