10 notícias para lidar com os mercados nesta sexta-feira

PIB cresce 0,6% na comparação trimestral e 0,9% na anual, abaixo do esperado; Japão aprova novo pacote de estímulo financeiro

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber.

1- PIB cresce 0,6% na comparação trimestral e 0,9% na anual, abaixo do esperado. O Produto Interno Bruto brasileiro subiu 0,6% em relação ao segundo trimestre e 0,9% em relação ao mesmo período do ano passado. A expectativa do mercado, segundo a Reuters, era de 1,2% e 1,9% respectivamente. 

2- Dilma veta as mudanças nas regras de distribuição dos royalties do petróleo. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo a presidente Dilma Rousseff decidiu ontem vetar o artigo do projeto que muda as regras de distribuição dos tributos referentes a campos de petróleo em exploração. Com o veto da presiidente, fica mantida a legislação atual que destina a maior parcela dos royalties dos campos em exploração aos Estados e municípios produtores. 

3- Japão aprova pacote de US$ 10,7 bi para estimular economia. O Governo japonês aprovou nesta sexta-feira um novo pacote de estímulo econômico que totaliza 880 bilhões de ienes (cerca de US$ 10,7 bilhões), com o que pretende criar 80 mil novos empregos, indicaram fontes oficiais. Essa nova medida, anunciada um mês depois da aprovação de um primeiro pacote de US$ 5,2 bilhões, terá como objetivo a criação de empregos e o suporte financeiro ao empresariado e à seguridade social.

4- Intervenção do governo aumenta perdas de títulos em dólar. Novembro termina com a maior queda dos títulos de dívida em dólar emitidos por empresas brasileiras desde maio. A intervenção do governo no mercado está levando a um êxodo de investidores da economia local. Os papéis corporativos brasileiros emitidos no exterior acumularam uma perda de 1,03 por cento neste mês, em comparação a um ganho de 2,22 por cento para os títulos chineses, 0,44 por cento para os indianos e 0,45 por cento para os russos, segundo dados compilados pelo JPMorgan Chase & Co. Já as captações externas caíram para US$ 4 bilhões, o menor valor desde julho. 

5- Petrobras cancela pedido de sondas por corte em projetos. A Petrobras cancelou o processo de contratação para o afretamento de cinco sondas de perfuração para 3 mil metros de lâmina d’água com o grupo Ocean Rig, informou a estatal nesta quinta-feira. Segundo a petrolífera, a decisão baseia-se na redução de necessidade futura de sondas. 


6- BCE: recuperação econômica começará no fim de 2013. O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, ressaltou nesta sexta-feira que a zona do euro ainda não saiu da crise econômica e disse que a recuperação se iniciará “sem dúvida” no segundo semestre de 2013. Em entrevista à emissora “Europe 1”, o principal dirigente do BCE insistiu que a eurozona deve avançar rumo a um maior federalismo. 

7- BTG e Gávea estão na disputa pela GVT, da Vivendi. A notícia de que a Vivendi pretende vender a GVT, operadora de telefonia e internet brasileira, não é nenhuma novidade. É novidade, no entanto, que o banco BTG Pactual, de André Esteves, esteja interessado na operação. As informações são do jornal Folha de S. Paulo, desta sexta-feira.

8- Ação da LLX dispara 27,6% após contrato com GE. As ações da LLX fecharam com forte valorização na Bovespa nesta quinta-feira, após a empresa de logística do empresário Eike Batista ter assinado novo contrato para instalação de uma unidade industrial no Superporto do Açu (RJ). O papel teve ganhos de 27,59 por cento, a maior alta desde 2009, cotado a 2,22 reais, enquanto o Ibovespa subiu 2,32 por cento. 

9- Oi ajuda Portugal Telecom a conter queda no lucro do 3º tri. O lucro da Portugal Telecom teve queda anual de 29 por cento no terceiro trimestre, resultado que ficou em linha com as previsões e que seria pior se não fosse o crescimento da Oi, o forte desempenho do serviço de televisão MEO e o corte de custos operacionais. O lucro líquido caiu para 64 milhões de euros (83 milhões de dólares), enquanto analistas em pesquisa da Reuters esperavam em média 63 milhões. 

10- As 18 ações preferidas do J.P. Morgan no Brasil. O banco de investimentos JP Morgan divulgou suas ações preferidas no Brasil para 2013. Segundo a análise assinada por Pedro Martins Junior, 2013 vai ser sobre a recuperação da economia brasileira, que deve ocorrer em forma de V – as estimativas apontam crescimento de 4,1% no próximo ano. Ou seja, a expectativa é de que a bolsa acompanhe essa rápida evolução.

Com Bloomberg, EFE, Reuters.