10 notícias para lidar com os mercados nesta sexta-feira

BM&FBovespa nega entrada da Mundial no Novo Mercado; Moody's rebaixa ratings da PDG

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber:

1 – BM&FBovespa nega entrada da Mundial no Novo Mercado. A fabricante de válvulas, alicates e esmaltes teve o seu pedido de entrada no nível mais elevado de governança corporativa da bolsa brasileira indeferido, mostra um comunicado enviado ao mercado. A Mundial é investigada pela Polícia Federal e pela CVM em um inquérito sobre a possível manipulação de ações no episódio que ficou conhecido como a “Bolha do Alicate”. O fato foi citado como um impeditivo à entrada no segmento, afirma a empresa.

2 – Moody’s rebaixa ratings da PDG. A agência de classificação de risco alterou a nota de crédito de longo prazo em moeda estrangeira de Ba2 para Ba3 e manteve a perspectiva negativa. Segundo a Moody’s, a ação foi tomada por conta da “deterioração significativa nos indicadores de crédito da empresa nos últimos doze meses e a incerteza em relação ao ritmo de recuperação”, mostra um comunicado enviado ao mercado.

3 – Seis bancos do País são notificados por causa de tarifas. Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú e Santander terão que prestar esclarecimentos sobre serviços oferecidos aos clientes. O Ministério da Justiça diz que há indícios de falta de informações sobre pacotes bancários.

4 – Obama e Boehner têm reunião “franca” sobre abismo fiscal. Presidente norte-americano e o presidente da Câmara dos Deputados se encontraram em um esforço para acabar com o impasse nas negociações do abismo fiscal. Com o prazo do final do ano ficando cada vez mais próximo, os dois líderes conversaram na Casa Branca, à medida que acumulam-se frustrações pela recente falta de progresso nas negociações, que se reduziram a rodadas diárias de acusações mútuas.

5 – Receita multa Fibria em R$1,666 bilhão por troca de ativos. A punição envolve recolhimento de imposto de renda e contribuição social sobre o lucro, num valor de 556 milhões de reais em principal mais 1,11 bilhão de reais em multa e juros, segundo a Fibria. Antes da formação da companhia em 2009, a partir da união da Aracruz Celulose com a Votorantim Celulose e Papel, a VCP tinha acertado dois anos antes um acordo de permuta de ativos com a International Paper, assumindo o Projeto Horizonte, no Mato Grosso do Sul.

5.1 – Fibria paga US$ 37,5 mi para fundo de pensão americano. O Fundo de Pensão dos Bombeiros e Oficiais de Polícia do Distrito da Flórida – Miami Beach – aceitaram um acordo sobre um processo contra a empresa e seus antigos CEO e CFO por fatos ocorridos na Aracruz Celulose. A empresa disse que possui um seguro para ressarcimento do desembolso.


6 – Fitch mantém triplo A da França, com perspectiva negativa. A entidade indicou em comunicado que a manutenção do triplo A se sustenta pela diversificada economia do país, a estabilidade de suas instituições políticas, civis e sociais e sua flexibilidade financeira. O anúncio acontece um dia após a Fitch ter colocado como ‘negativa’ sua perspectiva sobre os bancos franceses.

7 – Tupy contrata Citi, BTG, Itaú e BB em re-IPO, dizem fontes. A maior empresa de fundição da América Latina contratou o Citigroup Inc., Grupo BTG Pactual, Banco Itaú BBA SA e Banco do Brasil SA para liderar uma nova oferta pública de ações de R$ 1 bilhão, de acordo com três pessoas com conhecimento direto do assunto.

8 – BC vai mudar supervisão de bancos em 2013, diz Tombini. “Pretendemos eliminar exigências de informações redundantes e aquelas que já não contribuem mais para a supervisão”, disse Tombini durante discurso em evento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

9 – Banco Itaú BMG Consignado inicia operações em 17/12. O novo banco possui um capital social de 1 bilhão de reais, sendo 70 por cento de aporte do Itaú e os 30 por cento restantes do BMG. A estimativa é de que o banco tenha carteira superior a 30 bilhões de reais no segmento de crédito consignado nos próximos cinco anos.

10- Fortuna de Eike passa à 3ª do país após perda de US$ 6,8 bilhões. O patrimônio de Eike Batista, avaliado em US$ 12,7 bi, está atrás do de Jorge Paulo Lemann, investidor da Anheuser-Busch InBev, e Dirce Camargo, herdeira do setor de construção. O patrimônio líquido dele é US$ 6,8 bilhões menor do que o estimado anteriormente devido aos novos detalhes do acordo para a venda de uma participação no EBX Group Co., que representam um valor menor para o conglomerado, segundo o Índice Bloomberg de Bilionários.

Bônus: Ação da Tecnisa é como um samba de uma nota só, diz banco. Analistas criticam a grande exposição ao “Projeto Telefônica” e os atrasos que tem enfrentado

Com agências Estadão Conteúdo, Bloomberg, Reuters, EFE