10 notícias para lidar com os mercados nesta sexta-feira

Bolsas internacionais operam em alta após decisão de França, Itália, Espanha e Bélgica de suspenderem as vendas a descoberto de ações para estabilizar os mercados

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber nesta sexta-feira (12):

1 Mercados: Bolsas sobem após Europa barrar venda a descoberto. Bolsas na Europa e índices futuros nos Estados Unidos operam em alta no pregão desta sexta-feira, impulsionados pela decisão da França, Itália, Espanha e Bélgica de suspenderem as vendas a descoberto de ações, com o objetivo de estabilizar os mercados da região. Entre as commodities, o petróleo cai em Nova York, caminhando para a terceira semana de perda.

Agenda Corporativa | No Brasil, a Brasil Ecodiesel e a Brookfield Incorporações divulgam resultados após o fechamento do mercado. O balanço da Petrobras, que estava programado para sair hoje, foi postergado para a próxima segunda-feira (15). Nos Estados Unidos, a JC Penney informa seus números. Na Europa, não estão previstos resultados que devam impactar os mercados.

2 Medo dos investidores lembra o de 2008, diz JPMorgan & Chase. O comportamento de medo dos investidores nos últimos dias está similar ao que ocorreu durante a crise do subprime (hipotecas) em 2008, escreveu em relatório o estrategista de negociações da mesa do JPMorgan & Chase, Pete Tannenbaum. “Eu sinto um crescente medo do investidor de que há uma subestimação do contágio na Europa similar à que ocorreu para o problema do subprime”, explicou ele no documento.

3 Governo tem pelo menos R$ 1 trilhão para proteger Brasil da crise. O governo brasileiro conta hoje com um cordão de isolamento de pelo menos 1,1 trilhão de reais para proteção da economia contra os efeitos de um agravamento maior da crise internacional. Esse colchão é formando pelo dinheiro que o Tesouro Nacional tem em caixa para rolar a dívida pública, os depósitos compulsórios recolhidos pelo Banco Central e os dólares das reservas internacionais. Essa proteção é quase 40% maior do que o governo tinha às vésperas da crise de 2008.

4 HSBC indica ações para pessimistas e otimistas com a crise. De olho nos diferentes perfis dos investidores em renda variável, o HSBC Global Research publicou um relatório indicando as melhores ações para os otimistas e pessimistas com o desempenho do mercado financeiro durante esse momento de grande instabilidade. De um lado, papéis baratos e de fundamentos sólidos foram indicados para a carteira dos mais “corajosos”; de outro, ações mais defensivas e boas pagadoras de dividendos foram sugeridas para o portfólio dos mais “receosos”.

5 Conselho da Vale aprova pagamento de R$ 4,854 bilhões aos acionistas. O conselho de administração da Vale aprovou ontem o pagamento adicional de 4,854,900 bilhões de reais para os acionistas, o equivalente a 93 centavos de real por papel, informa a mineradora em comunicado. Segundo a empresa, com essa distribuição o volume de retorno de caixa aos acionistas é recorde, somando os pagamentos de dividendos, juros sobre o capital próprio e a recompra de ações.

6 WSJ: Walmart pode comprar Carrefour no Brasil por até US$ 8 bilhões. A rede varejista americana Walmart pode comprar a operação brasileira do Carrefour por um preço entre 6 bilhões de dólares e 8 bilhões de dólares, segundo reportagem do Wall Street Journal publicada nesta sexta-feira (12). De acordo com o texto, a aquisição está sendo viabilizada pelo banco de investimentos UBS AG.

7 Seae recomenda aprovação da união de TAM e LAN. A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda divulgou parecer ontem recomendando ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) que aprove a união entre as companhias aéreas TAM e LAN sem restrições. O negócio entre uma aérea brasileira e outra chilena cria a maior companhia aérea da América Latina e uma das dez maiores do mundo.

8 Deutsche Bank: ação da BM&FBovespa já incorpora cenário ruim. A forte queda das ações da BM&FBovespa desde o pico atingido em 2010, de 15,62 reais, revela a forte aversão ao risco dos investidores com o mercado brasileiro, mas também um “nível atraente de entrada”, afirma o Deutsche Bank em relatório. Os papéis terminaram a sessão de quinta-feira cotados a 9,01 reais, ou seja, 42,3% abaixo do teto. De acordo com os analistas Mario Pierry e Tito Labarta, a queda das ações em relação ao máximo atingido reflete o crescimento da interferência regulatória do governo, menores volumes e os temores de uma maior competição.

9 Santander: fim do “sonho dos dividendos” da Eletropaulo é oportunidade. O final do “sonho dos dividendos” da Eletropaulo decepcionou os investidores. A empresa surpreendeu o mercado ao não distribuir 100% dos lucros aos acionistas após publicação dos resultados, como era esperado, mas apenas 50%. “Enquanto esperávamos uma distribuição menor, acreditamos que o corte nos pagamentos pode gerar uma reação negativa do mercado, dado que a política informal da Eletropaulo de entregar 100% dos lucros foi interrompida. Vemos qualquer maior fraqueza com uma oportunidade de compra das ações”, afirmam os analistas Márcio Prado e Carolina Carneiro, do Santander.


10 Gol aprova recompra de até 10% de preferenciais em circulação. O conselho de administração da Gol Linhas Aéreas Inteligentes aprovou a recompra de até 9,5 milhões de ações preferenciais próprias, o que representa 10% do total de papéis desse tipo em circulação no mercado. O prazo para a recompra é de até 365 dias a partir de 12 de agosto. As ações serão mantidas em tesouraria “para posterior alienação e/ou cancelamento, sem redução do capital social”, disse a companhia

Fique por Dentro | A Direcional Engenharia também planeja recomprar ações próprias. A companhia irá separar até 35 milhões de reais para recomprar até 4,5 milhões de ações, ou seja, aproximadamente 5,57% dos papéis em circulação na BM&FBovespa. O prazo para as compras é de 60 dias, a partir desta sexta-feira.

Bônus Sem abertura de capital, Copersucar mantém seu “plano B”, diz jornal. Frustrada a operação para captar pelo menos 1 bilhãode dólares no mercado de capitais para financiar seu crescimento, a Copersucar, maior comercializadora de açúcar e álcool do país, mantém, resignada, seu plano “B” de investir com dívida e capital próprio, informa reportagem do jornal Valor Econômico. O programa vai demandar 2 bilhões de reais para projetos de infraestrutura e logística até 2015. Para os próximos 12 meses, o orçamento contempla investir 300 milhões de reais.

Temporada de Balanços

> Lucro líquido da Sabesp sobe 50,1% no 2º trimestre. A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) registrou lucro líquido de 479,6 milhões de reais no segundo trimestre de 2011, com avanço de 50,1% em relação ao mesmo período de 2010. A receita líquida também subiu 3,0% na mesma base de comparação, somando 2,339 bilhões de reais.

> Lucro da Brasil Foods sobe quase 3 vezes no 1º semestre. A gigante de alimentos Brasil Foods (BRF) aumentou seus lucros em 279% no primeiro semestre do ano, chegando a 881 milhões de reais, informou a empresa em comunicado. No segundo trimestre, o lucro líquido da companhia cresceu 190% em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo 497,9 milhões de reais.

> Lucro da Cyrela vai para R$ 96 milhões no segundo trimestre. A construtora e incorporadora Cyrela Brazil Realty apresentou lucro líquido de 96 milhões de reais no segundo trimestre do ano, queda de 42,8% em relação aos 167 milhões de reais obtidos no mesmo período em 2010. A companhia, que já havia informado no início de julho que teve vendas contratadas de 1,67 bilhão de reais e lançamentos de 1,65 bilhão de reais no segundo trimestre, apurou receita líquida de 1,4 bilhão de reais entre abril e junho, volume 14,7% maior em termos anuais.

> Magazine Luíza divulga lucro de R$ 4,6 milhões em 1º balanço. A varejista Magazine Luíza registrou um lucro líquido de 4,6 milhões de reais no segundo trimestre de 2011 e um total 16,9 milhões de reais no primeiro semestre, informou a empresa. O crescimento da receita bruta consolidada no semestre foi de 44,5%, totalizando 3,44 bilhões de reais; enquanto no segundo trimestre foi de 38,2%, alcançando 1,74 bilhão de reais.

> Gafisa fecha segundo trimestre com lucro de R$ 25,1 milhões. A construtora encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de 25,1 milhões de reais, após apurar ganho de 97,3 milhões de reais no mesmo período em 2010. O resultado ficou abaixo da estimativa de analistas de lucro trimestral de 42,2 milhões de reais para a empresa. De abril a junho, a Gafisa contabilizou receita líquida de 1,04 bilhão de reais, um avanço anual de 12,3%.

> Gol tem prejuízo com combustível mais caro e receita menor. A Gol Linhas Aéreas Inteligentes, segunda maior empresa aérea do Brasil, teve um aumento no prejuízo do segundo trimestre com a elevação dos custos de combustíveis e queda nas vendas. A perda ficou em 358,7 milhões de reais nos três meses até fim de junho. A cifra é maior do que o prejuízo de 51,9 milhões de reais do mesmo período de 2010.

> Tereos Internacional tem lucro de R$ 63 milhões no 1º trimestre fiscal. A Tereos Internacional teve lucro líquido de 63 milhões de reais no primeiro trimestre fiscal, que corresponde ao período de três meses encerrado em 30 de junho. No mesmo período do ano passado, a empresa teve um prejuízo de 59 milhões de reais, segundo comunicado enviado ao mercado.