10 notícias para lidar com os mercados nesta sexta-feira

Bolsas internacionais despencam em mais um dia negro, afetadas pelo temor de desaquecimento da economia global; Tóquio tem pior perda diária já vista desde o terremoto

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber nesta sexta-feira (5):

+ EUA cria empregos acima do esperado em julho. O Departamento de Trabalho americano anunciou hoje que foram criados 117 mil postos de trabalho no país no mês passado, acima das expectativas de 84 mil vagas. A taxa de desemprego recuou de 9,2% para 9,1%.

1 Mercados: sexta-feira negra atinge bolsas ao redor do globo. As bolsas internacionais caem pelo oitavo dia seguido, na mais longa sequência negativa desde janeiro de 2010, com o receio crescente de desaceleração da economia mundial. Segundo dados copilados pela Bloomberg, mais de 4,5 trilhões de dólares deixaram o mercado global de ações desde 26 de julho. Na Ásia, a Bolsa de Tóquio fechou com forte queda (3,7%), levando o Nikkei 225 a registrar sua maior perda desde o terremoto que atingiu o país há quase cinco meses. As commodities se desvalorizam, apesar de que o ouro continua em alta por ser considerado um investimento seguro.

2 Tombini diz que crescimento será lento e com sobressaltos. O crescimento da economia global será lento nos próximos dois ou três anos e estará sujeito a sobressaltos, segundo avaliou o presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini. Em entrevista à TV Brasil, ele afirmou que o Brasil está preparado para enfrentar crises econômicas, com estratégia “ampla e consistente” de moderação do crescimento e de controle da inflação.

3 Celso Amorim substitui Nelson Jobim no Ministério da Defesa. O Palácio do Planalto confirmou a saída do ministro da Defesa, Nelson Jobim. O ministro, que estava em Tabatinga (AM), na fronteira do Brasil com a Colômbia, teve que antecipar o retorno a Brasília, chamado pela presidente Dilma Rousseff. A ministra da Secretaria de Comunicação, Helena Chagas, informou que o ex-chanceler do governo Lula, Celso Amorim, vai ser o novo ministro da Defesa.

4 Minoritários conseguem suspender venda da Schincariol para a Kirin. Os sócios minoritários da Schincariol, detentores de 49,55% das ações da empresa, conseguiram ontem (4) suspender a venda da empresa para a japonesa Kirin, informa reportagem do Valor Econômico. A companhia japonesa comprou 50,45% de participação dos irmãos Alexandre e Adriano Schincariol por cerca de 4 bilhões de reais. A juíza Juliana Bicudo, da 1ª Vara Cível da Comarca de Itu, deferiu parcialmente o pedido de ação cautelar proposta pelos irmãos José Augusto, Daniela e Gilberto Schincariol, donos da Jadangil, que tem 49,55% e primos de Adriano e Alexandre.

5 Lucro da Lojas Americanas cresce 0,5% no 2º trimestre. A Lojas Americanas registrou lucro líquido consolidado, que inclui as operações de comércio eletrônico da B2W, de 43,4 milhões de reais no segundo trimestre deste ano, resultado 0,5% superior ao do mesmo período do ano passado. Segundo relatório de administração que acompanha o balanço, a geração de caixa, medida pelo Ebitda (ganho antes de juros, impostos, depreciação e amortização), totalizou 261,3 milhões de reais, o que representou uma alta de 21,2% frente ao mesmo intervalo de 2010.

Saiba mais: B2W anuncia prejuízo de R$ 20,9 milhões no 2º trimestre. A empresa de comércio eletrônico B2W, que reúne os sites Americanas e Submarino, registrou prejuízo consolidado de 20,9 milhões de reais no segundo trimestre de 2011, depois de um lucro de 17,9 milhões de reais no mesmo período do ano passado. A receita líquida atingiu 982,6 milhões de reais, com alta de 3,0%. O resultado financeiro líquido foi negativo em 74,8 milhões de reais.


6 CCP recebe aporte de R$ 200 milhões de fundos, diz jornal. A Cyrela Commercial Properties (CCP), empresa de renda da Cyrela que atua em shoppings, prédios comerciais e galpões logístico, receberá um aporte de 200 milhões de reais para aplicação direta em projetos, informa reportagem do Valor Econômico. Os recursos provém de dois grandes fundos de private equity que já são sócios da empresa: o GIC Real Estate, braço imobiliário do governo de Cingapura, e o CPPIB, subsidiária do fundo de pensão canadense Canada Pension Plan.

7 Eike Batista perde quase US$ 2 bilhões em dia de queda nas bolsas. O bilionário brasileiro Eike Batista pode ter deixado de ser o oitavo homem mais rico do mundo depois de sofrer ontem um prejuízo em torno de 2 bilhões de dólares, quando suas empresas lideraram o forte movimento de baixa da Bovespa. O grupo EBX – que atua principalmente nas áreas de mineração, petróleo e gás e infraestrutura com uma capitalização de mercado de 31 bilhões de dólares, mas praticamente sem faturamento – registrou uma perda de cerca de 9% no seu valor.

8 Mesmo com bolsa em baixa, Previ quer IPO da Invepar. A Previ, fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil, mantém o plano de abrir o capital da Invepar, braço de participações no setor de infraestrutura, até 2012, mesmo com o cenário adverso no mercado de ações, disse um diretor da entidade. O motivo é a necessidade de recursos para desenvolver projetos em concessões vencidas pela empresa, como a do Porto de Suape (Recife), o metrô do Rio de Janeiro e a rodovia Raposo Tavares, entre outros.

9 Tecnisa anuncia emissão de R$ 300 milhões em debêntures. A Tecnisa anunciou na noite de ontem a emissão de 300 milhões de reais em debêntures em três séries, segundo comunicado enviado ao mercado. De acordo com a nota, os papéis não serão conversíveis em ações. Os recursos obtidos com a operação serão utilizados para o alongamento do perfil das dívidas (80%) e 20% para o financiamento do capital de giro.

10 Itália anuncia crescimento de 0,3% no PIB do 2º trimestre. A economia italiana registrou no segundo trimestre um crescimento de 0,3%, alta em relação ao período anterior, quando teve expansão de 0,1%, informou o instituto de estatísticas ISTAT. O dado confirma as expectativas dos economistas. O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,1% no primeiro trimestre, um avanço considerado modesto na comparação com 1,5% da Alemanha e até mesmo 0,9% da França.