10 notícias para lidar com os mercados nesta segunda-feira

Petrobras encerra disputa por refinaria nos EUA; BMG dispara no mercado de dívida com aposta em troca de controle

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber:

1 – Petrobras encerra disputa por refinaria nos EUA. A Petrobras vai pagar US$ 820,5 milhões – já contando juros e custos legais – à Astra Oil Trading NV para ficar com os 50% da sócia na refinaria de Pasadena, no Estado norte-americano do Texas. O valor foi definido em acordo que põe fim a uma batalha judicial travada há pelo menos quatro anos entre a companhia brasileira e as empresas do grupo belga Transcor Astra. Com isso, a Petrobras será a única dona do ativo. De acordo com a estatal, quase todo esse montante já vinha sendo provisionado para pagamento nas demonstrações financeiras da Petrobras, restando um complemento de cerca de US$ 70 milhões, que deve ser reconhecido no resultado da companhia no segundo trimestre deste ano.

2 – BMG dispara no mercado de dívida com aposta em troca de controle.
O Banco BMG protagoniza o maior ganho no mercado de dívida com especulações de que a instituição financeira será adquirida como parte do processo de consolidação de um setor, o de bancos de médio porte, fustigado por restrições de recursos e investigações de irregularidades. A taxa dos títulos em dólar do BMG com vencimento em 2014 afundou 404 pontos-base, ou 4,04 pontos percentuais, na semana passada para 12,99 por cento, de acordo com dados levantados pela Bloomberg. A taxa média de bancos com classificação junk no mundo, como o Royal Bank of Scotland Group Plc e o Ally Financial Inc., caiu 43 pontos-base na semana passada, para 7,3 por cento, segundo dados do Bank of America Corp.

3 – Barclays anuncia demissão de Marcus Agius e auditoria. O Barclays anunciou nesta segunda-feira a demissão do seu presidente, Marcus Agius, e afirmou que fará uma auditoria independente em todos os seus negócios. Agius é acusado de participar de um grupo que distorceu artificialmente a taxa Libor, referência de juro no mercado interbancário em Londres. Na semana passada, o banco concordou em pagar 290 milhões de libras (US$ 452 milhões) para encerrar uma investigação das autoridades britânicas e americanas sobre suposta manipulação de taxas interbancárias de juros por operadores. Agius assumiu responsabilidade pela multa. “Como presidente, eu sou o último guardião da reputação do banco. Assim, a responsabilidade é minha”, disse o executivo, em comunicado.

4 – Cielo comprará empresa americana por US$ 670 milhões. A Cielo (CIEL3) anunciou hoje que firmou compromisso para aquisição de 100% da empresa americana Merchant e-Solutions (MeS), provedora global de soluções para pagamento. Segundo comunicado enviado para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a aquisição acontecerá por 670 milhões de dólares pagos na data do fechamento do negócio.

5 – Mercado revisa para baixo ação da OGX, mas ainda vê alta de 100%. A queda recente nos papéis da OGX (OGXP3) foi exagerada e o papel deve ter alguma recuperação até o final do ano, de acordo com projeções dos analistas mais otimistas aos mais pessimistas. Um levantamento com cinco instituições mostra que, mesmo após alguns rebaixamentos, os preços-alvos projetados para os papéis vão de 16 reais até 7,30 reais (confira na tabela abaixo na página 2). Ou seja: na melhor das hipóteses, a ação pode subir mais 190% sobre o fechamento de hoje e, na pior, terá alta de 32,72%. A média dos preços indica 11,62 reais, um potencial de valorização de 111%. 


6 – Time For Fun assume gestão do Chevrolet Hall, em Belo Horizonte. A empresa de entretenimento Time for Fun (SHOW3) assumir, a partir de 1º de julho, a operação do Chevrolet Hall, em Belo Horizonte. Pelos próximos quatro anos, a companhia cuidará de toda a contratação e produção de shows nacionais e internacionais, venda de patrocínios e tickets, merchandising, além da realização de eventos privados na casa de shows. O contrato firmado com a União Brasileira de Educação e Ensino – Irmãos Maristas, dona da Chevrolet Hall, faz parte dos planos da companhia de expandir os negócios na América do Sul. A Time For Fun já administra o Credicard Hall e o Teatro Abril, em São Paulo, o Citibank Hall, no Rio de Janeiro, e o Teatro Ópera Citi, em Buenos Aires.

7 – Economia espanhola encolhe ainda mais, e governo busca reformas. A economia espanhola encolheu ainda mais no segundo trimestre de 2012, mas deve se estabilizar no restante do ano enquanto o governo continua realizando reformas estruturais e medidas de austeridade orçamentária, afirmou neste domingo o ministro da Economia, Luis de Guindos. Líderes europeus concordaram na sexta-feira em permitir que o fundo de ajuda da zona do euro injete recursos diretamente em bancos, atravessando a soberania do governo e intervindo nos mercados de títulos da dívida.

8 – França terá que economizar até 10 bilhões de euros em 2012. O governo francês terá que economizar entre 6 bilhões e 10 bilhões de euros suplementares em 2012 e outros 33 bilhões mais em 2013 para respeitar seus objetivos de déficit, segundo um relatório sobre as finanças francesas publicado nesta segunda-feira e elaborado pelo Tribunal de Contas, a pedido do Executivo.

9 – Glencore pode abandonar fusão com Xstrata. A Glencore International está preparada para abandonar a fusão com a Xstrata para evitar ser forçada a aumentar o valor do acordo, diz o jornal Sunday Telegraph citando o executivo-chefe da companhia, Ivan Glasenberg. O jornal diz que Glasenberg, que tem 15,8% de participação na Glencore, não quer elevar o valor da fusão para além do originalmente aceitado.

10 – Troika chega ao Chipre para analisar suas contas. Os técnicos da troika -Banco Central Europeu (BCE), Comissão Europeia (CE) e Fundo Monetário Internacional (FMI)- chegaram hoje ao Chipre para analisar suas contas após o pedido de ajuda financeira ao Eurogrupo para seu setor bancário. O grupo formado por 25 analistas começará na terça-feira seu trabalho de revisão das contas públicas do Chipre, país que no domingo assumiu a Presidência semestral da União Europeia (UE), segundo informaram à Agência Efe fontes oficiais conhecedoras da agenda da troika.

Bônus: Bancos médios procuram um modelo para voltar a crescer

* Agência Estado, Bloomberg, EFE e Reuters