10 notícias para lidar com os mercados nesta quinta-feira

Usiminas tem prejuízo de R$ 124 milhões no 3º trimestre; Grupo Pão de Açúcar fecha 3º trimestre com lucro de R$210 milhões

São Paulo - Aqui está o que você precisa saber.</p>

1- Usiminas tem prejuízo de R$ 124 milhões no 3º trimestre. A Usiminas apresentou prejuízo líquido de R$ 124,9 milhões no terceiro trimestre, ante lucro de R$ 154,032 milhões no terceiro trimestre de 2011. Na comparação com o segundo trimestre, a cifra foi um prejuízo 44% maior sobre o de R$ 86,5 milhões, o que a administração da companhia justifica pelo “aumento das despesas operacionais extraordinárias, compensadas parcialmente por menores perdas financeiras”, em relatório de resultados. 

2- Grupo Pão de Açúcar fecha 3º trimestre com lucro de R$210 mi. O Grupo Pão de Açúcar, maior varejista do país, encerrou o terceiro trimestre com lucro líquido consolidado de 210 milhões de reais, alta de 64,6 por cento sobre o ganho de 128 milhões de reais do ano anterior, informou a companhia nesta quarta-feira. O Ebitda foi de 801 milhões de reais, alta de 11,1 por cento na comparação anual. 

3- Índices PMI da China mostram que economia se recupera. A economia da China está finalmente retomando a força, mostraram pesquisas Índice de Gerentes de Compra (PMI na sigla em inglês) oficial e privada nesta quinta-feira, embora elas indiquem uma recuperação lenta. O Escritório Nacional de Estatísticas divulgou que o PMI oficial de outubro subiu para 50,2 ante 49,8 em setembro, pouco abaixo da estimativa de 50,3 em pesquisa da Reuters na semana passada. Essa foi a primeira leitura acima de 50 –que divide expansão de aceleração– desde julho. 

4- Lucro da CSN encolhe 85,5% no 3º tri, para R$ 159 mi. A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) divulgou nesta quarta-feira um lucro líquido de R$ 159 milhões no terceiro trimestre. O resultado é 85,5% menor do que o total de R$ 1,097 bilhão contabilizado de julho a setembro do ano passado. Conforme o comunicado da siderúrgica, o Ebitda ajustado no período totalizou R$ 1,076 bilhão, resultado 37% inferior ao obtido no mesmo intervalo de 2011. 

5- Bolsas da Ásia têm alta e Hong Kong sobe 0,8%. A maioria das bolsas asiáticas fechou no campo positivo nesta quinta-feira. Não houve negociações nas Filipinas por ser feriado. A maior parte dos investidores acabou influenciada pelos bons números do PMI da China. 


6- Sony reverte prejuízo com lucro operacional de US$379 mi. A Sony voltou a ter lucro operacional no segundo trimestre fiscal após prejuízo no ano anterior, ajudada pela venda de uma unidade de químicos, que compensou a fraca demanda por TVs e outros dispositivos. A empresa manteve metas para o fechado do ano, após informar que no trimestre de julho a setembro gerou lucro operacional de 30,3 bilhões de ienes (379 milhões de dólares), ante perda de 1,64 bilhão de ienes há um ano. 

7- Brasil tem o 2º pior desempenho entre as bolsas do mundo. Quando comparada com as principais bolsas de valores do mundo, a bolsa brasileira fica em clara desvantagem. Com queda acumulada de 6,20% no ano, a Bovespa só não tem desempenho pior que a bolsa da Espanha, que está no centro da grave crise financeira europeia. 

8- SulAmérica vira a mais barata e abre espaço para valorização. A SulAmérica SA, terceira maior seguradora de saúde do país por vendas, é hoje a mais barata do setor. Isso sinaliza espaço para valorização, com a demanda por planos de saúde sendo impulsionada com o aumento da renda e do emprego. A seguradora carioca, cujo bloco de controle inclui o ING Groep NV, é negociada a 12 vezes sua estimativa de lucro anual, segundo dados compilados pela Bloomberg. Isso se compara a um múltiplo de 38 vezes para a Amil Participações SA, 32 para a Odontoprev SA e 15 para a Tempo Participações SA.

9- Estrangeiro corre para dívida local por rentabilidade. Os títulos da dívida pública doméstica nunca foram tão populares entre estrangeiros. Mesmo com a taxação maior e após 10 cortes de juros, os papéis brasileiros mantêm sua atratividade por ainda oferecerem o maior rendimento entre títulos de mercados emergentes. A participação de estrangeiros na dívida doméstica do governo subiu 20 por cento este ano, para R$ 243,7 bilhões até o fim de setembro, segundo dados do Tesouro Nacional, divulgados em 22 de outubro. Os investidores estrangeiros detêm agora o recorde de 13,4 por cento da dívida interna, um nível recorde, em comparação a 11,3 por cento um ano atrás.

10- Alimentos puxaram desaceleração do IPC-S. Os itens de Alimentação foram os maiores responsáveis pela desaceleração do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) na passagem da terceira para a quarta quadrissemana de outubro, para a taxa de 0,48%. O destaque foi a carne bovina, que, ao passar de 2,93% para 1,06% no período, ajudou a inflação do grupo a desacelerar a alta de 1,04% na terceira quadrissemana para 0,67% na seguinte.

Com Agência Estado, Bloomberg, Reuters.