10 notícias para lidar com os mercados nesta quinta-feira

Eike reduz participação na OGX; Consórcio e empresa suíça disputam controle da MMX

São Paulo –  Veja o que você precisa saber nesta quinta-feira.

1. As 30 empresas com maior valor de mercado

Levantamento realizado pela Economatica mostra quais são as gigantes da bolsa brasileira atualmente. A Ambev (AMBV4) é a empresa com maior valor de mercado na Bovespa, 254,61 bilhões de reais. Na sequência vem Petrobras e Vale.

2. Eike reduz participação na OGX a 52%

Eike Batista reduziu a sua participação na petroleira OGX. Após vender 7,03% capital social da empresa desde o dia 28 de agosto, Eike passou a deter cerca de 52% da empresa. Somadas as vendas realizadas desde março, Eike teve sua participação reduzida em 11,14% do capital social total da OGX. A empresa reiterou que o empresário não pretende alterar a sua posição de controlador e manterá participação acima de 50,01%. Pelo menos um investidor da OGX entrou com ação na Justiça pedindo a suspensão da venda da participação de Eike na petroleira.

3. Consórcio e empresa suíça disputam controle da MMX

O controle da MMX está disputado. Estão no páreo um consórcio formado pelo Mubadala Development, fundo soberano de Abu Dhabi, e a trading holandesa Trafigura, e a suíça Glencore Xstrata, de acordo com fontes próximas às negociações. O modelo do negócio seguirá o usado na MPX e na LLX: um aumento de capital na companhia sem a participação de Eike. 

4. As empresas que apanharam sem merecer na Bovespa

A bolsa brasileira é um ambiente pouco convidativo atualmente. No acumulado de 2013, o principal índice da Bovespa registra amargos 15% negativos. Mas, na recente onda de pessimismo existem papéis que apanharam mais do que deveriam, segundo a Ativa Corretora. Entre as empresas que estão subavaliadas pelos investidores estão Vale e BR Malls.


5. Retirada de estímulo dos EUA domina economia no G20

Rússia e a China deixaram claras suas preocupações sobre a esperada redução da política de estímulo monetário multibilionário do Federal Reserve hoje, falando antes do início da Cúpula do G20. Acredita-se que a Síria também deve ser um assunto importante do encontro.

6. Terceiro resgate da Grécia é realista, diz Eurogroup

Para o presidente do Eurogroup, Jeroen Dijsselbloem, os problemas financeiros da Grécia não irão acabar em 2014 e portanto é realista esperar que o país endividado irá precisar de dinheiro adicional da zona do euro antes que possa retornar aos mercados. Credores internacionais estimam que a Grécia vai necessitar de cerca de 10 bilhões a 11 bilhões de euros a partir do segundo semestre de 2014 para manter seu curso no próximo ano e em 2015.

7. MRV faz acordo de R$ 6,8 mi com MPT para encerrar ações

A MRV Engenharia aceitou pagar 6,8 milhões de reais para fechar um acordo nacional com o Ministério Público do Trabalho e encerrar as ações por desrespeito às condições de trabalho. O acordo sobre terceirização de mão de obra define o que a empresa pode contratar por empreitada e subempreitada em suas obras em todo o país. O MPT informou que o acordo será “um marco regulatório no setor da construção civil”. A decisão será divulgada hoje.

8. BC britânico mantém política monetária em reunião

O Banco da Inglatera, banco central britânico, não anunciou nenhuma mudança nas taxas de juros ou no programa de compra de títulos e não fez comunicado quanto à política nesta quinta-feira. A expectativa era de que o BC desse um tempo depois de meses agitados sob o comando do novo presidente, Mark Carney, que têm visto a economia mostrar novos sinais de vida.

9. Mercado de petróleo opera em alta à espera do G20

Os contratos futuros de petróleo bruto operam em alta nesta quinta-feira, mas a perspectiva para o mercado permanece incerta – os investidores estão esperando por notícias da cúpula do G-20, com preocupações sobre o conflito na Síria.

10. Ações asiáticas atingem máxima em 3 semanas por Índia

As ações asiáticas subiram para máximas em três semanas nesta quinta-feira, à medida que os papéis indianos tiveram rali um dia após o presidente do banco central do país ter anunciado medidas para sustentar a rupia e o setor bancário. A preocupação de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, em breve reduzirá seu estímulo manteve os mercados tensos.
 

Com Estadão Conteúdo e Reuters