10 notícias para lidar com os mercados nesta quarta-feira

Marfrig levanta R$1,05 bi em oferta pública; PMI da China desacelera em novembro

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber.

1- Marfrig levanta R$1,05 bi em oferta pública. O frigorífico Marfrig levantou 1,05 bilhão de reais com oferta primária de ações precificada nesta terça-feira, um montante próximo ao esperado inicialmente pela empresa. O valor por papel ficou em 8 reais, segundo informações publicadas no website da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), abaixo do fechamento do dia, de 9,05 reais. 

2- Kroton conclui migração para Novo Mercado da Bovespa. A Kroton Educacional concluiu nesta quarta-feira a migração para o segmento Novo Mercado da BM&FBovespa, passando a ter somente ações ordinárias, negociadas pelo código KROT3. 

3- PMI da China desacelera em novembro por novas encomendas. O crescimento do setor de serviços da China desacelerou em novembro uma vez que o fraco avanço em novas encomendas e uma alta das contratações recentes reduziram os negócios pendentes. O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do HSBC divulgado nesta quarta-feira mostrou que o índice caiu para 52,1 em novembro ante 53,5 em outubro, sendo que os preços de venda continuaram a recuar apesar de um aumento nos preços dos insumos. 

4- OSX resiste no setor de dívida à maré negativa de Eike. Os títulos de dívida da fabricante de navios e plataformas de petróleo OSX Brasil SA estão se mostrando resistentes ao afundamento de todas as demais ações e papéis de dívida emitidos por empresas do bilionário Eike Batista. Os US$ 500 milhões em títulos com vencimento em 2015 garantidos por ativos da OSX deram retorno de 10,1 por cento desde a sua emissão em março. 

5- Ações asiáticas sobem com esperanças sobre China. As ações asiáticas atingiram o maior nível em 16 meses nesta quarta-feira, lideradas por uma alta nas ações chinesas devido a esperanças de crescimento estável, mas preocupações sobre se os parlamentares norte-americanos podem quebrar o impasse orçamentário antes do final do ano para evitar uma possível recessão mantinha o otimismo em xeque. 


6- HSBC vende fatia de US$ 9,4 bi em seguradora. O conglomerado controlado pelo homem mais rico da Tailândia, Dhanin Chearavanont, adquiriu do HSBC uma fatia minoritária na seguradora chinesa Ping An Insurance por 9,38 bilhões de dólares, resultando na segunda maior operação na Ásia neste ano. 

7- Ações europeias seguem Ásia e operam em alta. As ações europeias operam em alta nesta quarta-feira, seguindo ganhos durante a noite na Ásia e se aproximando de novas máximas em 2012, após comentários do novo líder chinês impulsionarem as expectativas de crescimento global e alimentarem um rali nas ações de commodities.

8- Obama:Plano republicano para abismo fiscal é desequilibrado. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rejeitou nesta terça-feira uma proposta republicana para solucionar o iminente abismo fiscal, classificando-a como “ainda desequilibrada”, e insistiu que qualquer acordo precisa incluir um aumento nos impostos para os norte-americanos mais ricos.

9- Diminuição na conta de luz não atinge meta do governo. O valor da conta de luz dos brasileiros pode ficar até 16,7% menor a partir de 2013, disse ontem o secretário executivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann. A diminuição é resultado das assinaturas antecipadas de contratos de concessão de energia elétrica que ocorreu há pouco. O percentual é inferior aos 20,2% anunciados pela presidenta Dilma Rousseff, em setembro. Segundo Zimmermann, o percentual menor é atribuído à recusa das companhias Energética de São Paulo (Cesp), Energética de Minas Gerais (Cemig) e Paranaense de Energia (Copel) em aderir à proposta do governo.

10- Produção industrial global é a mais baixa desde 2009. A produção industrial global teve no terceiro trimestre de 2012 o pior desempenho desde 2009, de acordo com um relatório divulgado nesta terça-feira (4) pela ONU. A taxa de expansão foi de 2,2% ante o mesmo período do ano passado. A América Latina, puxada pelo Brasil, teve o pior desempenho entre os mercados emergentes, com alta de apenas 0,3%.

Com Bloomberg, Estadão Conteúdo, Reuters.