10 notícias para lidar com os mercados nesta quarta-feira

Títulos da Eletrobras despencam com Dilma anulando ganhos; perdas da Petrobras batem recorde com proibição de rejustes

São Paulo – Aqui está o que você precisa saber.

1- Títulos da Eletrobras despencam com Dilma anulando ganhos. Títulos em dólar emitidos pela Centrais Elétricas Brasileiras SA, maior geradora de energia da América do Sul, estão sendo negociados com desconto recorde para papéis do governo brasileiro em meio a receios de que a estatal cederá às demandas da presidente Dilma por tarifas menores. Desde que o governo disse em 1 de novembro que pagaria menos que a metade do que a companhia esperava como indenização, taxas dos títulos da captação de US$ 1,75 bilhão com vencimento em 2021 subiram 0,58 ponto percentual para 4,72 por cento. 

2- Archstone, do Lehman, aumenta IPO para US$3,5 bi. A Archstone, desenvolvedora e proprietária de apartamentos, disse na segunda-feira que planeja aumentar para 3,45 bilhões de dólares sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), na maior emissão de uma empresa da área de construção civil comercial dos Estados Unidos. Se a listagem ocorrer este ano, será o terceiro maior IPO dos Estados Unidos em 2012, atrás do Facebook e da unidade mexicana do Banco Santander. 

3- Perdas da Petrobras batem recorde com proibição de rejustes. O prejuízo da Petróleo Brasileiro SA na área de refino já chega ao valor recorde de US$ 8 bilhões este ano. A batalha do governo contra a inflação obriga a estatal a vender gasolina importada a um preço abaixo do custo. Sem capacidade suficiente no refino para atender à demanda, a Petrobras elevou as importações de gasolina em 65 por cento para 84.000 barris por dia no terceiro trimestre, segundo o balanço da estatal. A gasolina importada, que é vendida a cerca de 8 por cento abaixo do custo, elevou as perdas no ano na divisão de refino a subirem para R$ 17,3 bilhões, contra R$ 10 bilhões em todo o ano de 2011.

4- Com Grécia, bolsas da Ásia fecham sem direção única. As bolsas asiáticas fecharam sem uma direção única nesta quarta-feira. O mercado de Xangai, na China, atingiu uma mínima plurianual durante a sessão em meio à crescente incerteza sobre a ajuda à Grécia. As ações haviam aberto o dia em alta, ajudadas pelas notícias de que as novas construções residenciais nos EUA aumentaram em outubro para o maior nível em mais de quatro anos. No entanto, a pressão altista desapareceu no meio da sessão depois que os ministros das Finanças da zona do euro não conseguiram chegar a uma decisão sobre como lidar com a dívida da Grécia, reduzindo os ganhos de toda a região asiática. 

5- Eurozona não consegue acordo e Grécia continua sem ajuda. A Eurozona fracassou na tentativa de alcançar um acordo para liberar uma parcela da ajuda à Grécia, pendente desde junho, e também não conseguiu superar as divergências com o FMI para aliviar a dívida grega, após 11 horas de intensos debates que terminaram durante a madrugada desta quarta-feira. 


6- Caixa começará a estruturar banco de investimento em abril-maio. A Caixa Econômica Federal pretende começar a estruturar sua unidade de banco de investimento em abril ou maio do próximo ano, após receber uma autorização do Banco Central, que é esperada para o primeiro trimestre de 2013, disse o vice-presidente de Finanças, Márcio Percival. Segundo ele, que falou em entrevista por telefone em 19 de novembro, a Caixa pode fazer uma nova emissão de títulos no exterior em reais ou em dólares também em abril ou maio. 

7- BC inglês está dividido sobre afrouxamento monetário. As autoridades do Banco da Inglaterra discordaram sobre o impacto exato de sua compra de ativos e sobre os argumentos a favor de mais afrouxamento monetário, mostrou nesta quarta-feira a ata da reunião do banco central de 7 e 8 de novembro. Era esperado que a decisão do BC inglês de não injetar mais dinheiro na frágil economia do país fosse apertada e potencialmente influenciada pela decisão de devolver ao Ministério das Finanças cerca de 35 bilhões de libras em juros pagos sobre os gilts (títulos do governo britânico) que comprou até agora.

8- Japão registra um de seus piores déficits comerciais. A balança comercial do Japão registrou em outubro um dos piores resultados nos últimos 30 anos, com um déficit de 6,788 bilhões de dólares, provocado por uma queda das exportações em um momento de desaceleração da economia mundial, anunciou o ministério das Finanças. O déficit comercial da terceira potência econômica mundial alcançou 549 bilhões de ienes, o que representa uma alta de 94% na comparação com o mesmo mês de 2011.

9- Governo mantém previsão de alta de 2% do PIB em 2012. O governo manteve em 2% a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano. A estimativa consta no quinto relatório bimestral (setembro-outubro) de avaliação de despesas e receitas do Orçamento da União, que foi divulgado nesta terça-feira pelo Ministério do Planejamento. A projeção é usada como parâmetro para a avaliação das contas do governo. 

10- IPC-Fipe recua para 0,70% na 2ª leitura de novembro. O Índice de Preços aos Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, registrou 0,70% na segunda quadrissemana de novembro. O número representa um recuo em relação à primeira quadrissemana do mês, quando apresentou 0,75%. a comparação com a segunda medição de outubro, a inflação mostrou recuo, já que o índice naquele levantamento foi de 0,77%. 

Com AFP, Bloomberg, Estadão Conteúdo, Reuters.