10 notícias para lidar com os mercados nesta quarta-feira

Congresso aprova Orçamento 2014 com salário mínimo de R$ 724

São Paulo – Veja o que você precisa saber nesta quarta-feira.

1. Congresso aprova Orçamento 2014 com salário mínimo de R$ 724

O Congresso Nacional aprovou a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2014. A proposta segue agora para sanção presidencial. O valor total do Orçamento da União para 2014 é 2,48 trilhões de reais. Do total previsto para o próximo ano, 654,7 bilhões de reais serão destinados para o refinanciamento da dívida pública. O salário mínimo previsto para entrar em vigor a partir de 1º de janeiro do ano que vem é 724 reais, aumento de 6,6% em relação ao mínimo atual.

2. Braskem compra Solvay Indupa em negócio de quase US$ 300 mi

A Braskem fechou a compra da produtora de PVC e soda Solvay Indupa, em um negócio estimado em quase 300 milhões de dólares. O negócio reforça a posição da Braskem no mercado de vinílicos no Brasil e marca a entrada industrial da empresa na Argentina. A Braskem assinou contrato para comprar 70,59 por cento do capital da Solvay Indupa que pertence à Solvay Argentina, esta última do grupo belga Solvay, segundo fato relevante.

3. Distribuidoras da Eletrobras devem ser vendidas em 2014

Segundo informações de fontes à agência Reuters, o Ministério de Minas e Energia é favorável à venda do controle das distribuidoras da Eletrobras, mas o processo só deverá ser concretizado após as eleições de 2014. Segundo a fonte, que falou sob condição de anonimato, o governo (que é o acionista controlador da Eletrobras) estaria aguardando o momento político ideal para anunciar o aval ao negócio.

Para acompanhar a Bovespa no seu celular, basta digitar: exame2.com.br/mobile/exame-na-bolsa


4. BM&FBovespa eleva previsão de investimentos em 2014

Hoje, a BM&FBovespa elevou sua previsão de investimentos em 2014 para a faixa entre 230 milhões e 260 milhões de reais, ante estimativa anterior de 170 milhões a 200 milhões de reais. Para 2015, os investimentos projetados são de 190 milhões a 220 milhões de reais.

5. Ações asiáticas avançam com decisão iminente do Fed

Hoje, as ações asiáticas fecharam o pregão em alta, com os investidores aguardando para saber quando o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, começará a frear sua campanha de estímulo, um importante condutor de ativos de risco globais nos últimos anos. O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) irá divulgar comunicado às 17h00 (horário de Brasília).

6. Vale tem aval para emitir até R$ 1,012 bi de debêntures

O Ministério dos Transportes deu aval à Vale para a emissão de até 1,012 bilhão de reais de debêntures de infraestrutura, considerando o projeto Ramal Ferroviário Sudeste do Pará como prioritário. A portaria, que tornou o projeto elegível à emissão de debêntures de infraestrutura, apareceu ontem na lista dos aprovados na página do ministério na internet. O ramal ferroviário ligará a Estrada de Ferro Carajás (EFC) à mina de S11D.

7. Aneel aprova plano para distribuidoras do Grupo Rede

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou o plano da Energisa para reestruturar distribuidoras do Grupo Rede Energia. A intervenção da agência nas concessionárias segue até ser aprovada a transferência do controle da holding para a Energisa.


8. Cade aprova venda de terras da Fibria para a Parkia

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, o acordo de venda de terras da fabricante de celulose Fibria para o grupo Parkia Participações. O acordo prevê que a empresa continuará sendo operadora das florestas por até 24 anos nas áreas envolvidas na transação.

9. Situação da Telefónica no País só será definida após Itália

O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, disse que uma decisão final do governo brasileiro sobre a participação da Telefónica na TIM Participações só ocorrerá após o desenrolar da questão na Itália. As discussões sobre o futuro da TIM cresceram desde que a Telefónica, dona da Vivo, anunciou em setembro que estava aumentando a participação na Telecom Italia, que controla a TIM – o negócio poderá levar ao controle da empresa.

10. IGP-M sobe 0,54% na 2ª prévia de dezembro, apura FGV

Na segunda prévia do IGP-M de dezembro, a inflação subiu 0,54%, acima da taxa de 0,30% registrada na segunda prévia de novembro. O resultado ficou dentro das estimativas.