2019

Com faturamento estagnado, empresa encontra motivação para mudar

Durante o programa EXAME Mentoria PME, empresa de Blumenau descobriu por que seu faturamento se estagnou e já planeja retomada do crescimento

Depois de acumular taxas sucessivas de até 25% de crescimento anual até 2014, a Color Química, empresa de Blumenau (SC) que produz insumos para a indústria têxtil, viu o faturamento se estabilizar e a rentabilidade cair nos últimos três anos. Preocupados com a sobrevivência do negócio e com dificuldade para identificar o entrave, Sérgio de Santanna, 63 anos, sócio e fundador, e seu filho, Mateus de Santanna, 32, gerente da empresa, decidiram buscar orientação na segunda edição do programa Mentoria PME. A iniciativa, criada pela revista EXAME, coloca empreendedores de todo o país em contato com executivos de grandes empresas para discutir desafios do mercado e analisar seus negócios.

A missão de orientar pai e filho foi entregue a Enrique Garcia, CEO para a América do Sul da Kluber Lubrication, multinacional alemã que pertence ao grupo Freudenberg. Para descobrir o que impedia o desenvolvimento da Color Química, o executivo foi de São Paulo a Blumenau, onde também conversou com o diretor da área comercial, Mauro Sezer Colzani, sócio de Sérgio. “É difícil fazer um trabalho de mentoria sem conhecer o contexto, o lugar e as pessoas”, afirma Garcia.

Foi assim que ele identificou um problema urgente a ser enfrentado: a gestão de pessoas. Para dar ênfase ao assunto, Garcia envolveu Simone Sá, gerente de RH e comunicação corporativa do grupo Freudenberg. “A Color Química é uma empresa familiar, com 75 funcionários e faturamento significativo, mas que até então não tinha uma área de recursos humanos”, diz Garcia. Havia apenas um profissional responsável por cuidar de assuntos relacionados ao departamento pessoal. “Não existiam processos ou políticas organizadas de desenvolvimento ou remuneração. Não havia organograma. Tudo era reportado para o fundador.”

Lição de casa de Mateus de Santanna, gerente da empresa, e de seu pai foi contratar um colaborador estratégico para cuidar da área de RH (Victor Sansão/Estúdio ABC)

Sérgio admite que a desmotivação do time era visível e que havia problemas de comunicação e relacionamento interpessoal nas equipes. “Tivemos uma reestruturação societária há um ano e faremos a mudança da nossa sede em breve”, explica. “Isso tudo gera incerteza e expectativa.”

A lição de casa dos empreendedores foi contratar um colaborador estratégico para cuidar da área de RH. Dispostos a mudar, eles cumpriram a missão em 30 dias. Agora, o desafio é educar a família a deixar o profissional trabalhar. “Ele é gabaritado para tomar decisões e precisamos nos acostumar a isso”, afirma Mateus. Sérgio concorda: “O objetivo é motivar as pessoas para continuarmos vivos”, diz. “Só depois vamos pensar em crescer.”

As inscrições para quem quiser investir na próxima edição do programa EXAME Mentoria PME, prevista para agosto, estão abertas.

Faça sua inscrição

E-mail: mentoriapme@abril.com.br • Telefone: 11 3037 5598