Quem disse, Berenice? risca os “nãos” da vida da mulher

Campanha digital traz um questionamento sobre o direito de escolhas

São Paulo – Sem dúvidas, a discussão sobre o empoderamento feminino ganha mais espaço na mídia e também na publicidade. Prova disso são as propagandas que reforçam o fim dos estereótipos e preconceitos contra as mulheres.

A marca de cosméticos Quem disse, Berenice? acaba de fazer isso muito bem. Para incentivar o questionamento sobre o direito de escolhas, a campanha online “Não é pra mim” traz mulheres que riscam todos os “nãos” que não fazem sentido em suas vidas.

No filme assinado pela agência Santa Clara, o conceito é abordado em situações como “ser chefe não é pra mim”, “comprar camisinha não é pra mim” e “batom vermelho não é pra mim”.

Essas regras são projetadas sobre as mulheres que, com uma postura segura, riscam o “não”, se libertando das imposições sociais.

“A marca sempre falou de liberdade e ao mesmo tempo teve contato com muitas histórias de mulheres que deixavam de fazer coisas por acreditarem que algo ‘não era pra elas’. A campanha vem para encorajá-las a perceberem que tudo o que quiserem será para elas”, explica Gustavo Fruges, gerente de comunicação e branding de Quem disse, Berenice?.