Pabllo Vittar rompe com marca de sapatos por causa de Jair Bolsonaro

Ação do dono da marca em rede social desencadeou uma crise na parceria

São Paulo – No mundo das redes sociais, as marcas estão sob contínuo escrutínio do público e, na moda, onde muitas vezes as criações são indissociáveis de seus criadores, os passos digitais dos donos de empresas também não passam despercebidos.

Exemplo disso é a polêmica envolvendo o designer Victor Vicenzza, dono da marca de sapatos do mesmo nome, e a cantora drag queen Pabllo Vittar. Na última sexta-feira (31), o empresário passou a seguir e curtir publicações do candidato à presidência da república Jair Bolsonaro(PSL) em sua conta no Instagram. 

O caso repercutiu na internet e motivou Vittar a romper relações com a grife. A cantora era uma das patrocinadoras da marca de sapatos femininos que visa o público gay entre seus clientes. Por meio das redes sociais, Vittar anunciou que não trabalharia mais com Vicenzza:

“Desde o início da minha carreira, sempre soube que seria muito difícil conseguir apoio de marcas que queriam se relacionar com uma artista LGBTQIA+ drag que sou. Muitas portas se fecharam, mas algumas se abriram e com isso trabalhei até então com parceiros que sou muito grata. Deixo aqui meu agradecimento de apoio até agora, mas não poderia aliar meu trabalho a um discurso que deixa claro não se importar com os diretos humanos de toda comunidade LGBTQIA+, da qual faço parte”, escreveu em uma série de stories no Instagram.

 (Pabllo Vittar/ Instagram/Reprodução)

“Adianto que foram produzidos alguns trabalhos já finalizados e distribuídos digitalmente desse meu novo álbum, que contém peças de marcas que, a partir de agora, não vinculo mais a minha imagem”, acrescentou. 

Na sequência, Vicenzza, que chegou a ser acusado de ter se aproveitado da comunidade LGBTQ para promover seus sapatos, se pronunciou por meio de um post na conta de sua marca Instagram: “Luto contra todo tipo de preconceito desde a criação desta empresa. Isso não mudou e não mudará! A campanha Shinning teve exatamente esse objetivo! Prezo pela honestidade, transparência, ética e moral”, disse o empresário.

“Acredito que o Bolsonaro é o único candidato apropriado para liderar esta nação. Dessa forma, decidi apoiar publicamente a candidatura de Jair Messias Bolsonaro”, justificou Vicenzza.

View this post on Instagram

⚠️ COMUNICADO OFICIAL ⚠️

A post shared by Victor Vicenzza (@victorvicenzza) on

 

 

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Daniel Santos

    que pena, foi uma perda horrível. Boa sorte Pablo.

  2. Sandro Nei de Almeida

    ótima postura, agora vou direcionar minhas comprar pra essa marca. Quem apoia Bolsonaro merece minha atenção, chega dessa cambada de “artistas” ridículos que gostam de lacrar mas não ligam a mínima pro Brasil

  3. VAI MENSTRUAR VERME!!!

  4. aldair vieira

    hahaha, vai arrumar patrocínio la na Venezuela.

  5. Sigmund Volta

    LGBTQIA+? Que baboseira é essa agora? Seja lá o que signifique, a marca ganha com a saída do travesti e com a adesão ao Bolsonaro. Afinal, alguém que quer ser visto como mulher sendo homem e como artista quando sequer tem competência para cantar não agrega em absolutamente nada. É a pessoa que representa um completo FAZ DE CONTA.

  6. Josivam Mateus

    Parabéns ao dono da marca por se posicionar. Com a saída do artista(?), quem ganha é a marca. Nunca tinha ouvido falar dessa marca de sapatos, mas com certeza nunca compraria, sabendo que a empresa patrocina esse tipo de artista.

  7. Anderson Barbosa

    NOSSA,ESSE TRAVECO ESTA SE ACHANDO. SORTE DO FABRICANTE DE CALCADOS, ACHO QUE DEVERIA COLOCAR AGORA UMA MULHER LINDA PARA FAZER A DIVULGACAO

  8. EUTANASIO PEDREIRA

    Esse indivíduo poderia romper com todas as marcas do Brasil e fazer parceria com as marcas do buraco negro que fica na centésima galáxia a setelhões de séculos luz daqui.