Os piores comerciais de 2014

Lista da Business Insider traz algumas das piores campanhas do ano

São Paulo – O mundo da publicidade produz campanhas e ideias incríveis, muitas vezes entrando no imaginário e na cultura de um povo.

Mas, também, sabe produzir muita coisa péssima.

Uma lista da Business Insider mostra alguns dos piores comerciais de 2014. Daqueles para assistir e pensar “Em qual século estamos mesmo?”.

Gravações amadoras, ideias retrógradas, um tanto de racismo e sexismo. Confira a seguir alguns dos péssimos exemplos de propaganda.

(Para a digestão, você pode conferir depois alguns dos melhores comerciais do ano).

1. Thorne Travel

Campanha: O comercial de uma agência escocesa de viagem falha pelo amadorismo: um desfile de atendentes em trajes estranhos, com uma música de fundo inadequada e má qualidade de filmagem e edição.

//www.youtube.com/embed/IA3JH5tfTYg

2. VIP e-cigarette

Campanha: O vídeo apela para o lado sexual para vender uma marca de cigarros eletrônicos. Sua versão anterior chegou a ser banida, já que era explicitamente sexual. Foi o primeiro comercial de cigarro a ir ao ar no Reino Unido desde os anos 1960.

//www.youtube.com/embed/Pb8VRrnBMsA

3. Hooters

Campanha: O vídeo da rede americana Hooters, famosa – e criticada – por contratar somente garçonetes em trajes mínimos, tentou tirar uma lasquinha da Copa do Mundo no Brasil, mas não conseguiu ser muito engraçado e profissional.

//www.youtube.com/embed/pcCu5-tIp1A

4. Nippon Airways

Campanha: O vídeo causou polêmica e fez a companhia aérea pedir desculpas publicamente. No comercial, eles tentam brincar com o estereótipo de um ocidental ou caucasiano. O ator usa uma peruca loira e um gigante nariz postiço.

//www.youtube.com/embed/DCjxzpSrFP4

5. Polícia da Hungria

Campanha: A intenção era boa. O vídeo “You Can Do Something About It, You Can Do Something Against It” (“Você pode fazer alguma coisa sobre isso, você pode fazer alguma coisa contra isso”), criado pela polícia húngara, fazia parte de uma campanha contra o estupro e a violência contra a mulher. Mas acabou piorando a situação. O comercial falava que, para evitar os ataques, as mulheres deveriam se “comportar”: parar de beber, não flertar, não sair na rua com roupas “sugestivas”, não dançar de “modo sugestivo”… Um desastre.

Vídeo: O vídeo foi removido do YouTube após intensas críticas.

6. Feed a Child

Campanha: Outro comercial que adotou o discurso que parecia combater. A campanha sul-africana de caridade falava sobre a fome e as crianças necessitadas. Mas ganhou uma enxurrada de críticas ao mostrar uma mulher branca alimentando uma criança negra como se fosse um cachorro de estimação. O vídeo saiu do ar. Mas abaixo é possível ver um programa falando sobre o assunto e mostrando o comercial.

//www.youtube.com/embed/JMEuzSMXfyo

7. East Hills

Campanha: um vídeo um tanto amador do shopping East Hills, nos Estados Unidos, é perfeito para gerar boas risadas.

//www.youtube.com/embed/6bnanI9jXps