Nike retira patrocínio a Lance Armstrong: “Ele nos enganou”

Ciclista foi acusado de doping pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada)

São Paulo – A Nike anunciou hoje que não patrocinará mais o ciclista americano Lance Armstrong. O heptacampeão da Tour de France (Volta da França) foi acusado pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada) de ser a figura central do programa de doping mais “sofisticado, profissional e bem-sucedido” que o esporte já viu.

Em nota divulgada pelo The Guardian, a Nike atribuiu o fim do contrato “às aparentes insuperáveis evidências de que Lance Armstrong participou de doping”, e afirma que o atleta enganou a empresa “por mais de uma década”.

“É com grande tristeza que encerramos nosso contrato com ele. A Nike não aprova de maneira nenhuma o uso de drogas ilegais para melhorar o desempenho.”

Em agosto deste ano, quando Armstrong foi banido do ciclismo pela Agência Antidoping dos Estados Unidos e perdeu todos os títulos conquistados no Tour de France, a marca afirmou que permaneceria patrocinando-o. Agora, no entanto, o cenário parece ter se tornado insustentável para a empresa.

Ciclista deixa presidência da Livestrong

No mesmo comunicado, a Nike disse que planeja manter o apoio às iniciativas criadas pela Livestrong, fundação que luta contra o câncer, “para unir, inspirar e fortalecer” as pessoas com a doença. 

Já o ciclista anunciou que abandonará a presidência da associação que fundou em 1997, depois de se curar do câncer.

“Esta organização, sua missão e seus apoiadores são incrivelmente queridos por mim”, afirmou em comunicado.

“Hoje, pontanto, para evitar à fundação quaisquer efeitos negativos vinculados à controvérsia que cerca minha carreira como ciclista, eu encerro minhas funções de presidente”.