Marcas apostam nos próprios emoticons

Seja emoticon ou emoji, marcas como Ikea, General Eletric, Comedy Central já contam com o recurso para envolver os consumidores de uma nova maneira

Apesar da sua enorme penetração no mundo digital, o que talvez muitos não saibam é que o emoticon não é algo que surgiu neste século. 

Há 30 anos, o professor Scott Fahlman enviava a primeira combinação de caracteres para expressar sentimentos.

Ao mesmo tempo amadas e odiadas, o fato é que as tais carinhas para expressar sentimentos são absolutamente populares e utilizadas em todo o mundo. 

Praticamente um dos ícones das conversas virtuais, a novidade é que recentemente, como mostra essa matéria do Adweek (veja aqui), os emoticons passaram a fazer parte da estratégia de comunicação das marcas.

Não à toa, a Mentos acaba de anunciar novas figurinhas para os seus “ementicons”. Seja emoticon ou emoji, marcas como Ikea, General Eletric, Comedy Central já contam com o recurso para envolver os consumidores de uma nova maneira. 

Em Porto Rico, por exemplo, a Coca-Cola criou 30 “emoticokes” recentemente.

Para muitos, essa tentativa de estar ainda mais presente no dia a dia do consumidor pode ser algo banal. É necessário observar, entretanto, que a iniciativa sinaliza um cenário mais abrangente: no ambiente digital as marcas não disputam a atenção das pessoas apenas com concorrentes, mas também com os amigos, colegas e familiares desses indivíduos.

Veja abaixo as almôndegas suecas da Ikea:

As almôndegas suecas da Ikea (Reprodução/Adweek)