Mãe Natureza está nos planos de compras de Natal (ao menos nos EUA)

Consumidores norte-americanos medem pegada de carbono em compras de Natal

O impacto ambiental das opções de entrega rápida, que podem incluir o uso de aviões e o envio de vários itens separadamente,é uma preocupação entre consumidores nos Estados Unidos, de acordo com a pesquisa anual de compras de Natal da Accenture. Metade dos entrevistados disse que escolheria opções que deixassem uma pegada de carbono menor, como entregas em um prazo maior ou retirada na loja.

“Os consumidores estão começando a se preocupar” com o uso de papelão e o impacto da entrega no dia seguinte, disse Jill Standish, diretor-gerente sênior e responsável pela área de varejo global da Accenture, em entrevista. “Isto é apenas o começo. Este é o novo normal.”

No entanto, embora consumidores digam que desejam restringir qualquer impacto no planeta devido aos seus hábitos de compra, não está claro até que ponto seu comportamento realmente mudará. Opções de entrega em um dia ou mais rápida podem ser um forte atrativo, especialmente para conseguir receber as compras no prazo das festas.

A Amazon.com, Walmart e Target estão investindo bilhões de dólares para acelerar e ampliar as opções de entrega em meio à disputa por clientes, uma estratégia que pressionou as margens de lucro. O Walmart disse que, para conseguir entregar as mercadorias em um dia, os itens devem ser enviados em apenas uma caixa de um único depósito mais próximo do cliente. Já a Amazon disse em abril que reduzir os prazos de entrega para seus principais clientes custaria US$ 800 milhões somente no segundo trimestre.

Além do meio ambiente, a responsabilidade social se torna mais importante para os consumidores, segundo a Accenture. Das 1.500 pessoas pesquisadas em julho e agosto, 45% disseram que planejam fazer compras de Natal em varejistas que demonstram consciência social em suas práticas comerciais e condições de trabalho.

Seis entre sete entrevistados disseram que planejam gastar o mesmo ou mais do que no ano passado, uma média de US$ 637. Em média, os homens esperam gastar US$ 685, cerca de 15% a mais que as mulheres. Vales-presente, roupas e calçados encabeçam a lista. Os entrevistados foram divididos igualmente entre homens e mulheres. Cada um dos cinco grupos geracionais, desde a Geração Z até os Baby Boomers, representava 20%.