Heineken lança Kaiser Radler, cerveja leve com suco de limão

De baixo teor alcoolico, bebida pode ser consumida até mesmo após atividades esportivas

São Paulo – Sucesso na Europa, a cerveja do tipo Radler é uma receita alemã com baixo teor alcoólico, de apenas 2% (metade de uma pilsen), feita com uma mistura de 40% de cerveja com 60% de suco de limão. Apesar de bem aceita naquele mercado, a categoria ainda não é muito conhecida no Brasil. Nesta semana, a cervejaria Heineken anunciou o lançamento da primeira Radler nacional, que chegará aos mercados como um rótulo da Kaiser.

A cervejaria não confirma, mas a receita do produto parece ser feita sob medida para agradar o público que não aprecia o sabor da bebida tradicional, ou que prefere uma versão mais leve.  “Mais do que ser indicada para determinados públicos-alvo, a bebida é voltada para uma ocasião de consumo, em situações extremo calor, como em churrascos, na praia, em festas na piscina e também ao final da prática de esportes”, explica Mariana Stanisci, diretora de marketing de mainstream da Heineken.

De acordo com a cervejaria, o novo rótulo não deve concorrer diretamente com a Desperados, outra cerveja com limão que pertence ao portfólio da companhia. “As duas bebidas possuem propostas diferentes. A Desperados possui 5,9% de teor alcoólico, combinando cerveja com tequila e um toque de limão, e é ideal para momentos de diversão, como ‘esquentas’ e ‘baladas’, explica Mariana.

A receita Radler surgiu na região da Baviera, em 1922. Franz Xaver Kugler, que na época era o dono do famoso pub Kugler-Alm, localizado no final de uma pista de ciclismo, recebeu milhares de esportistas sedentos para se refrescarem.

Para atender às necessidades dos seus clientes, ele teve a ideia de combinar cerveja com suco natural de limão, batizando a receita de “Radler” (palavra que significa ciclista em alemão), em homenagem aos seus primeiros consumidores

Desde 2007, 29 rótulos da Cervejaria Heineken ao redor do mundo já ganharam uma versão Radler e, ao final de 2014, serão 44 países a aderir à novidade.