Globo e ONU Mulheres lançam ação contra violência de gênero

Rede de televisão e ONU se unem em campanha de enfrentamento à violência contra a mulher

São Paulo – “A cada 15 segundos uma mulher cai da escada, escorrega no banheiro ou tropeça no tapete. E a cada uma hora e meia uma mulher não sobrevive para contar a próxima desculpa”.

Com este alerta, a Globo e a ONU Mulheres lançam uma campanha de enfrentamento à violência de gênero.

O filme, lançado nessa quarta-feira (11) durante o Jornal Hoje, ressalta a importância da denúncia das agressões.

O trabalho, produzido pela Comunicação da Globo, apresenta cenas comuns a todos os lares, como uma beira de escada, um banheiro com a porta entreaberta e a ponta de um tapete no chão.

Um texto revela que as imagens fazem referência às desculpas utilizadas, por muitas mulheres, para esconder as violências que sofrem, geralmente por medo de denunciar seus agressores ou pela descrença de que eles sejam punidos pelo crime.

O filme termina com um apelo, “Quando uma mulher é agredida, toda sociedade é agredida também”, para que agredidos e testemunhas não se omitam, denunciem por meio do telefone 180, e entendam que esta atitude pode salvar vidas.

Confira o filme:


“Não podemos ficar indiferentes diante da publicação dos novos dados sobre violência contra a mulher. Junto com a ONU Mulheres, usaremos nosso poder de comunicação para mobilizar a sociedade em torno de uma agenda de defesa de direitos, que atue pela mudança de comportamento e pelo fim da violência”, afirma a diretora de Responsabilidade Social da Globo, Beatriz Azeredo.

De acordo com o estudo “Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres”, a taxa de homicídios de mulheres no Brasil é a 5ª maior do mundo – são 4,8 assassinatos para cada 100 mil mulheres, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS).

O estudo, feito pela Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), avaliou 83 países.

Além do filme, a nova campanha da emissora vem acompanhada de ações em torno do tema que acontecerão entre 25 de novembro e 10 de dezembro.

A mobilização foi nomeada pela ONU como os “16 Dias de Ativismo pela Fim da Violência contra as Mulheres”.