Empresa faz publicidade no papel da recarga do celular

Algumas empresas investiram em novo formato de promoções visando aumentar sua competitividade mercadológica: promoção em cupom de recarga de celular pré-pago

São Paulo – Idealizada pela Mídia & Cupom, um novo tipo de propaganda, veiculada numa mídia inusitada, tem atraído empresas como a Mondelez, TIM, Motorola, Jequiti, C&C, HP, AOC, Naranya/Vivo e outras.

Elas investiram em um novo formato de promoções visando aumentar sua competitividade mercadológica: a promoção em cupom de recarga de celular pré-pago.

“Esta nova modalidade é uma alternativa de baixo custo para se falar com esse público-alvo dentro do ponto de venda e com grandes possibilidades de segmentação” explica Fabio Rodrigues, CEO da Mídia & Cupom.

Segundo a empresa responsável, a propaganda na recarga de celular permite promoções imediatas de produtos já que, no momento da recarga, o consumidor está dentro do ponto de venda e pode assim, ser estimulado a realizar a compra ou ainda, utilizar os créditos recém-colocados para participar de promoções via SMS e hotsites.

De acordo com a empresa, esse tipo de publicidade pode atingir mensalmente 40 milhões de pessoas, espalhados por 180 mil pontos de venda de todo o país. Os PDV’s podem ser farmácias, mercearias, supermercados, postos de gasolina e as lojas de conveniência, bancas, lojas e etc.

O foco da novidade, de acordo com a empresa, são as classes emergentes.

Exemplos de campanhas realizadas

A marca de cosméticos Jequiti foi um dos primeiros clientes a aproveitar a nova mídia para aumentar o cadastramento de novas consultoras. Em sete dias, a mensagem foi vista por mais de 1,3 milhão de possíveis consumidores e novas consultoras, apenas na cidade de São Paulo. Todos das classes B-, C e D.


A Motorola Mobility utilizou os cupons de recarga para realizar uma campanha que dava desconto em smartphones nas lojas TIM de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Foram atingidas diretamente 462.414 pessoas, em duas etapas. Para o diretor de Marketing da Motorola Mobility, Rodrigo Vidigal, o objetivo da campanha foi de fidelizar os clientes C,D,E. “Ações como essa, além de aproximar os consumidores da marca, chamam a atenção de pessoas que talvez não tivessem a oportunidade de conhecer mais de perto a tecnologia Motorola”, explica.

A C&C, líder do mercado com produtos de casa e construção em diversas regiões do Brasil, também fez esse tipo de promoção. A campanha foi voltada para o varejo e incentivou o público a visitar as lojas C&C da cidade de São Paulo.

Nas recargas dos celulares pré-pagos foi impressa uma publicidade que, ao ser apresentada na loja, dava desconto exclusivo para um produto específico, no caso, duchas de banho.

A ação ocorreu em 7.356 pontos de venda simultaneamente. Exatamente 312.976 pessoas das classes B-, C e D foram atingidas pela promoção, em apenas três dias. Segundo o diretor de Marketing da C&C, Mauro Florio, “a oportunidade demonstrou que podemos conquistar um excelente resultado nessa mídia”.

Já a Mondelez, fabricante do Sonho de Valsa utilizou o cupom para promover uma campanha já existente. Com o objetivo de reforçar a campanha da promoção “Mais Créditos, Mais Amor” no Sul do país. Em dois dias, 7.190 pontos de venda, geraram os cupons de recarga da promoção.

Entre os locais participantes estavam armazéns, mercearias, bancas de jornal, revistas, panificadoras, confeitarias, bares e restaurantes. O CEO da Mídia & Cupom, explica que o formato de divulgação foi escolhido porque “ao divulgar a campanha no momento em que o consumidor coloca os créditos em seu celular, é um incentivo para que, no mesmo instante, o cliente compre o bombom Sonho de Valsa e envie o SMS para concorrer a mais saldo em seu aparelho móvel”.

Nas outras campanhas da HP, AOC e Naranya/Vivo, Fabio Rodrigues explica que o cupom de recarga foi utilizado para divulgar as lojas on-line, no caso de HP e AOC, e serviços de conteúdo via SMS no caso da Naranya, atingindo novos potenciais consumidores desses serviços que vêm ganhando cada vez mais força entre a classe emergente, conclui.