Dono de restaurante “dá aula” para cliente preconceituoso

Um cliente avaliou negativamente sua visita a uma franquia da rede cearense de restaurantes Coco Bambu, dizendo que só podia "ser nordestino"

Recentemente, um filme da Renault que procurou (ao seu modo) desmistificar a máxima que “Os baianos são lentos” gerou controvérsias nas redes sociais.

Porém, se algumas marcas criam ruídos ao falar sobre o nordestino, outros dão uma aula de sensibilidade e Nordeste para cidadãos que ainda persistem em menosprezar a cultura alheia.

Depois de um cliente avaliar de maneira negativa após visita a uma franquia em Campinas da rede cearense de restaurantes Coco Bambu e finalizar dizendo que “Só pode(sic) ser Nordestino(sic)”, Thales Osterne, fortalezense e um dos sócios da rede, deu uma resposta que deve ter feito o usuário rever seus preconceitos.

Para mostrar ao intolerante avaliador do que é feita a região, o executivo citou o poeta e compositor Patativa do Assaré para dizer que:

“Eu sou de uma terra que o povo padece
Mas não esmorece e procura vencer.
Da terra querida, que a linda cabocla
De riso na boca zomba no sofrer
Não nego meu sangue, não nego meu nome
Olho para a fome, pergunto o que há?
Eu sou brasileiro, filho do Nordeste,
Sou cabra da Peste, sou do Ceará.”

“Nós temos que ter muito orgulho de onde viemos, o povo nordestino é extremamente trabalhador. Como empresário, o que eu deixo é que a gente vem para uma cidade desbravar novos mercados e isso só traz benefícios ao local. Atualmente empregamos 180 pessoas no restaurante em Campinas, tanto nordestinos como pessoas da região. Trabalhamos para que a cidade cresça e prospere, não deve ter espaço para preconceito”, afirmou o empresário para o Diário do Nordeste.

Este conteúdo foi publicado originalmente no site da AdNews.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Separemos logo este país em vários, secessão urgente.

  2. VERDE e AMARELO

    Isso tudo é montado por esquerdistas, que dedicam suas infelizes vidas a jogar brasileiros contra brasileiros, um dia nos uniremos e faremos do Brasil o cemitério do comunismo, que é uma ideologia genocida, irmã gêmea do nazismo.