Dia do Consumidor? Cuidado para não comemorar consumindo

Dia do Consumidor acontece na próxima quinta-feira, dia 15 de março

São Paulo – Você já ouviu falar do Dia do Consumidor? Não se preocupe se você respondeu que não conhece. Apenas 30% dos brasileiros estão por dentro da obscura data.

Apesar do desconhecimento, ela tem certa idade. Foi comemorada pela primeira vez em 1983, em 15 de março.

Seu nome oficial, contudo, não aponta para o fator consumo da equação, sim para a fator dos direitos: Dia Internacional do Direito do Consumidor.

A efeméride vem de um discurso do presidente americano John Kennedy, em 15 de março de 1962, quando ele falou pela primeira vez e com grande repercussão sobre direitos dos consumidores.

A dúvida que paira é: a data serve para quê? Comemorar consumindo ou não consumindo? Ou talvez consumindo com mais consciência?

Consumo?

Segundo o Google Brasil, as buscas por Dia Do Consumidor cresceram 92% em 2018. Na última semana, com a proximidade da data, as buscas aumentaram 143%.

A pesquisa do Google indica que 81% dos brasileiros pretendem comprar algo na próxima quinta-feira.

O Google nomeou o 15 de março “a principal data do varejo do primeiro trimestre”.

Claro, não há competidores à altura nesse período no Brasil, como Natal, Dia das Mães, Dia dos Namorados ou Black Friday.

Segundo o Google, os produtos mais buscados na semana que antecede esse 15 de março são laptops, TVs, perfumes, smartphones, eletrônicos, roupas e calçados, e eletrodomésticos.

Consumo ou conscientização?

A ideia de transformar a data em uma ode ao consumo e evento importante para o varejo parece, contudo, um tanto forçada. Ao menos, em 2018.

Marcas não esboçaram nada sobre promoções especiais, como na Black Friday, quando semanas antes da data consumidores são bombardeados com promoções e promessas.

Tradicionalmente, a ideia por trás da comemoração tem a ver, sobretudo, com conscientização dos direitos dos consumidores, não com a ida às compras.

Segundo a organização Consumers International, em cada ano há um tema a ser debatido na data.

Em 2018, por exemplo, o tema é “Fazendo os market places digitais mais justos”.

Muitos consumidores consideram o ambiente digital de compras inseguro. Além disso, metade da população mundial ainda está offline.

Entre as bandeiras desse ano, estão o acesso seguro e justo à internet, a luta contra fraudes e esquemas e a maior proteção do consumidor online.

Em outros anos, os temas debatidos na data foram, por exemplo, “Antibióticos fora do menu” (contra empresas que vendem proteína animal com antibióticos), e “Dietas saudáveis” (direito do consumidor não apenas de comprar comida, mas de comprar comida saudável).