Coca-Cola cai em pegadinha e tuíta trecho de livro de Hitler

Iniciativa no Twitter consistia no seguinte: pedir para os internautas marcarem mensagens negativas no microblog para que a marca as transforme em algo positivo

São Paulo – Durante o Super Bowl do último domingo (1), a Coca-Cola lançou a campanha “Make It Happy”.

As ações digitais incluem uma iniciativa no Twitter que consiste no seguinte: pedir para os internautas marcarem mensagens negativas no microblog para que a marca as transforme em algo positivo.

O que, na visão da Coca-Cola, seria modificar a postagem e transformar as palavras em desenhos feitos com o código ASCII.

Pois bem, até aí, nada demais. O problema é que o site Gawker descobriu que a ação da marca era feita de forma automática.

Portanto, qualquer mensagem negativa seria republicada no perfil oficial da bebida em forma de ASCII.

Frases como “We must secure the existence of our people and a future for White Children.” (algo como “Devemos assegurar a existência de nosso povo e um futuro para as Crianças Brancas”) foram reproduzidas no perfil.

Sabendo disso, o veículo resolveu criar um perfil no Twitter chamado @MeinCoke e postar trechos do livro “Mein Kampf” (“Minha Luta”), de Adolf Hitler, direcionados à Coca-Cola.

A marca caiu na pegadinha e repostou as mensagens em forma de desenho (veja aqui). Os tweets foram excluídos posteriormente.

Segundo o editor do Gawker, é constrangedor ver uma marca gigante como a Coca-Cola postando este tipo de mensagem.

Já a empresa disse ao site Adweek que a mensagem da campanha é simples: A Internet é o que fazemos dela.

Ainda segundo o comunicado da marca, é lamentável que o Gawker esteja tentando transformar essa campanha em algo que ela não é.

De acordo com a Coca-Cola, construir um bot que tenta espalhar o ódio através da hashtag #MakeItHappy é um exemplo perfeito da negatividade que a empresa quis abordar com esta campanha.

E você, o que acha? Deixe sua opinião nos comentários.