Campanha pede que mães “desapareçam” no dia 13 de maio

Celebridades como Jennifer Connelly, Kelly Rutherford e Debra Messing pedem boicote à data como apoio à instituição Every Mother Counts

São Paulo – Uma campanha chamada “No Mothers Day” (Não ao Dia das Mães) nos Estados Unidos pede o boicote à tradicional comemoração da data, como forma de chamar a atenção para as mortes decorrentes de complicações na gravidez e no parto, 90% delas, evitáveis. Hoje, a cada 90 segundos uma mulher morre durante o parto, de acordo com a instituição.

A ação foi criada pela agência CHI & Partners de Nova York para a Every Mother Counts (EMC), instituição liderada pela ativista Christy Turlington Burns que busca melhorar a vida das mães mundialmente.

Em um filme de dois minutos, personalidades como Jennifer Connelly, Kelly Rutherford e Debra Messing se unem a mulheres desconhecidas para pedir que, em vez de receber cartas e presentes, as mães “desapareçam” o próximo dia 13 de maio: não atendam ao telefone, não atualizem redes sociais ou respondam e-mails.

Durante um minuto, o final do filme, as mulheres permanecem em silêncio, em solidariedade às 360 mil mães que morrem a cada ano no mundo, por complicações durante a gravidez e o parto.

A trilha foi escrita e gravada por Eddie Vedder, do Pearl Jam, especialmente para a instituição.

Assista ao filme