Anúncios de marcas na internet: 56% dos usuários clicam nos links

Estudo do The Boston Consulting Group revelou números importantes sobre o marketing digital no Brasil

São Paulo – Como os brasileiros lidam com anúncios na internet? Eles clicam nos links? Têm o hábito de fazer compras online? E as empresas e marcas, investem no marketing digital como deveriam?

Um novo estudo do The Boston Consulting Group, divulgado em primeira mão ao site EXAME, traz algumas respostas.

“Só Investir Não Basta – As Expectativas do Consumidor para Marketing Digital no Brasil” entrevistou mais de três mil consumidores.

Os números mostram que eles são mais receptivos aos anúncios online que se imagina.

Confira a seguir os principais resultados do estudo.

Relação dos consumidores com o marketing digital

56% dos usuários de internet disseram que estariam inclinados a clicar em um anúncio. A receptividade é ainda maior se o anúncio chegar por e-mail (77%) ou por resultados de busca (67%).

Os consumidores também são adeptos das compras online. 65% já compraram algo pela internet. Até quando a compra será feita em uma loja física, 56% pesquisam online antes de partir para o mundo físico.

A exposição a anúncios digitais, como era de se esperar, é alta. No último mês, quase 70% declararam que foram expostos a algum anúncio no e-mail ou em rede social, 56% em vídeos e 47% em banners de sites e resultados de busca.

A influência dos anúncios digitais também é alta: 66% dos usuários de internet já fizeram alguma compra por causa de um anúncio online.

Investimentos em marketing digital

Segundo a pesquisa, 25% dos gastos de marketing no Brasil vão para o segmento digital. É pouco se comparado a outros mercados, como Estados Unidos (44% dos investimentos vão para o digital) e Reino Unido (61%).

Mas os investimentos do tipo crescem no Brasil. Desde 2011, cresceram 28%.

Os caminhos se abrem, também, porque a rejeição relativa ao marketing digital é baixa. Isso pensando que o uso de ad blockers no Brasil é baixo. Segundo a Kantar Media, apenas 16% dos brasileiros usam algum programa do tipo.

O caminho dos investimentos também deve seguir o rumo da personalização: o estudo mostrou que mais de 60% dos brasileiros estão dispostos a comprar uma marca ou serviço – e até trocar sua atual opção de compra – se sentirem que o serviço e a experiência serão mais personalizados.