Ação contra desigualdade salarial leva meninas a entrevistas

A justificativa das garotas quando questionadas sobre o motivo pelo qual elas estão ali mesmo sendo tão novas é o que revela o intuito da ação

Para receber o mesmo que os homens, as mulheres precisariam começar a trabalhar pelo menos 11 anos antes.

Esse é só mais um dos muitos dados que denunciam a desigualdade salarial motivada por gênero como uma realidade em pleno século XXI.

Mas e ele fosse aplicado na prática? Como seria se meninas de 10 ou 15 anos entrassem uma entrevista de emprego para, quem sabe, atingirem um salário igual ao dos homens mais de uma década depois?

Essa foi a provocação proposta pelos argentinos da escola de criativos Brother, em uma ação desenvolvida para a Avon.

Na campanha “GiveMeBackMy11” (“Me devolva meus 11”, em tradução livre do inglês), entrevistadores são surpreendidos por meninas que chegam para participar da seleção para cargos de secretárias e advogadas.

A justificativa das garotas quando questionadas sobre o motivo pelo qual elas estão ali mesmo sendo tão novas é o que revela o intuito da ação.

Confira o filme: