A verdade na Rússia é perigosa

Em ritmo de "pegadinha", ação do jornal Znak mostra o que acontece com quem diz a verdade na Rússia

São Paulo – Toda vez que vejo a Rússia como país de origem de uma peça publicitária, sinto uma curiosidade irresistível de clicar no link para descobrir do que se trata. Com um marcante humor trash, raramente me decepciono. Desta vez, entretanto, fui surpreendida não pelo gosto duvidoso de seus criadores, mas pela força da mensagem desta ação criada pela agência Voskhod para o jornal online russo Znak.com: a verdade é perigosa.

Se você acompanha o noticiário internacional, sabe que a vida não anda muito fácil na Rússia, especialmente para quem fala o que pensa. No caso específico do Znak, a preocupação maior é com a liberdade de expressão, já que sua própria editora, Aksana Panova, foi presa e julgada pelo crime de dizer a verdade”. Foi aí que surgiu a ideia de colocar pessoas comuns no lugar da jornalista.

Em ritmo de pegadinha, um ator faz uma pergunta qualquer às pessoas que passam por ele na rua. Que horas são, qual o nome daquela rua, etc. Ao responder, obviamente dizendo a verdade, surgem policiais e um juiz para prender e julgar os participantes, causando reações desesperadas.

Apesar de não concordar com as pegadinhas em geral, acredito que a opção por este tipo de ação foi coerente com o objetivo. Talvez por ser jornalista e reconhecer a importância da liberdade de expressão como um direito fundamental do ser humano, este vídeo acabou me sensibilizando mais do que deveria.

A julgar pelos resultados, sensibilizou também os russos: o vídeo foi um dos mais vistos no país, a audiência do Znak cresceu em 16% e subiu seis posições na classificação de web-mídias locais.