A luta da propaganda contra o abuso sexual de crianças

Ao cumprir seu papel de promover debates, reflexões e advertências sobre o tema, a propaganda costuma chocar ou emocionar

Muita gente não sabe, mas ontem (18) foi o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, um dos crimes mais chocantes e repugnantes da humanidade.

Ao cumprir seu papel de promover debates, reflexões e advertências sobre o tema, a propaganda costuma chocar ou emocionar com campanhas que abordam o assunto. Confira abaixo alguns trabalhos de alto impacto e bastante sensibilidade:

Garota virtual

A pornografia infantil é um mal terrível e se depender da organização internacional Terre des Hommes esse tipo de ato tem data para acabar.

A ONG criou um método para flagrar e deter os pervertidos que buscam esse tipo de experiência na web.

O perfil fake Sweetie apresenta uma garota virtal filipina em salas de bate-papo e já ajudou a identificar mais de mil pedófilos espalhados pelo mundo.

Pegadinha sensacionalista

O anúncio abaixo contra a pedofilia foi criado pelo publicitário e jornalista Brunno Barbosa para a ONG Bandeiras Brancas. A iniciativa, bastante premiada, contou com a parceria do jornal humorístico Sensacionalista.

Conhecido por seu conteúdo fantasioso, o site mostrava a manchete falsa de uma menina de apenas 12 anos que teria colocado silicone para pousar nua e viajar para a Disney.

Quando o leitor clicava nas fotos da matéria, uma grade aparecia sobre o reflexo do seu próprio rosto no tablet.

Direto ao assunto

Assinada pela Young & Rubicam mexicana, a campanha não deixa dúvida a respeito do viés do seu alerta: a pedofilia.

As peças falam por si e ainda contam com um dado alarmante sobre o problema. “No México, 1 em cada 7 crianças são vítimas de abuso sexual online”.

 

Campanha contra abuso sexual de crianças: (Divulgação)

Há algo errado

Outra peça que diz tudo, desta vez criada pela Serve de Milwaukee, EUA (Projeto Institucional). A assinatura é icônica: Se você enxerga as crianças assim, há algo errado com você.

 

Campanha contra abuso sexual de crianças: (Divulgação)

Sobre monstros e bonecas

Neste filme, um olhar atento capta um crescente desconforto com a tensão que vai se armando e que denota que ali se desenha um assédio sexual. É angustiante para quem vê. E é proposital.  

As cenas pertencem a dois filmes que compõem a campanha digital realizada pela GVT em parceria com a ONG SaferNet com estreia nesta sexta-feira (11).