Revista Der Spiegel apresenta denúncia de espionagem

A queixa por espionagem e "atentado ao sigilo da correspondência "foi apresentada junto ao Ministério Público Federal de Karlsruhe (sudoeste),

A revista alemã Der Spiegel anunciou nesta sexta-feira ter apresentado uma queixa na justiça, alegando ter sido espionada pela inteligência dos Estados Unidos em 2011.

A queixa foi apresentada junto ao Ministério Público Federal de Karlsruhe (sudoeste), por espionagem e “atentado ao sigilo da correspondência”, indica em seu site a maior revista informativa da Alemanha, conhecida por suas investigações.

Uma “nota secreta da chancelaria sugere que o Spiegel foi monitorado pela inteligência americana em 2011”, escreveu o semanário.

Segundo a revista, a CIA teria alertado o coordenador dos serviços de inteligência na chancelaria, Günter Heiss, que o Der Spiegel tinha uma fonte dentro do governo alemão.

Os contatos entre esta fonte, um colaborador próximo de Heiss e a revista são “explicitamente mencionados em uma nota secreta da chancelaria”, acrescenta Der Spiegel.

Pouco depois, o colaborador em questão foi transferido para um serviço auxiliar, sem que uma acusação fosse iniciada contra ele, diz a revista.

O governo alemão negou a questão ao órgão de supervisão parlamentar, justificando por razões orçamentais a transferência do funcionário, segundo Der Spiegel.

O caso está sendo analisado pela comissão parlamentar que investiga a espionagem da NSA, escreveu Der Spiegel, segundo o qual o governo alemão não tem feito nada para esclarecer o caso.

Na quinta-feira, o embaixador dos Estados Unidos na Alemanha foi convocado pelos serviços de Merkel após novas revelações do Wikileaks sobre a espionagem pela NSA de vários ministros alemães, revivendo um caso que envenenou as relações entre Berlim e Washington.