Kiev: carga russa para Ucrânia é ajuda humanitária

A Cruz Vermelha reconheceu a carga russa como ajuda humanitária após receber da parte russa a relação detalhada do conteúdo do comboio

Kiev – Kiev reconheceu neste sábado sob respaldo da Cruz Vermelha como ajuda humanitária a carga que está nos 262 caminhões russos na fronteira russo-ucraniana e que será destinada à população do leste da Ucrânia, segundo um decreto assinado pela ministra de Política Social ucraniana, Ludmila Denísova.

‘Dada a iniciativa do presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, sobre a recepção de ajuda humanitária no marco da missão internacional sob a égide do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, (ordeno) reconhecer a carga como ajuda humanitária’, informu o decreto, publicado no site do Executivo ucraniano.

A Cruz Vermelha reconheceu a carga russa como ajuda humanitária após receber da parte russa a relação detalhada do conteúdo do comboio que partiu na segunda-feira passada dos arredores de Moscou. A organização internacional, que até agora tinha negado ter recebido a lista de Moscou, remeteu de última hora neste sábado ao governo ucraniano a relação minuciosa de todos os artigos do comboio que chegou ontem à passagem de fronteira ‘Donetsk’, no lado russo.

A instituição informou que os 1.900 quilogramas de ajuda humanitária russa são compostos de carne em conservas, arroz, açúcar, cereais, chá, sal, leite condensado, água, alimentos infantis, sacos de dormir, remédios e geradores elétricos.

‘O receptor da carga humanitária é a missão da Cruz Vermelha na Ucrânia. A carga será transportada à Ucrânia através da passagem de fronteira ‘Donetsk”, informou o decreto do Ministério de Política Social ucraniano.

Após uma longa negociação, Rússia, Ucrânia e Cruz Vermelha acertaram que durante a travessia do comboio por território ucraniano, controlado parcialmente por separatistas pró-Rússia hostis a Kiev, em cada um dos 262 caminhões russos deverá viajar um membro da organização internacional.

O chefe da Cruz Vermelha para a Rússia, Belarus e Moldávia, Pascal Kutta, informou que cada um dos caminhões será cuidadosamente inspecionado por funcionários da organização antes de partir para à Ucrânia. No entanto, lamentou que o governo ucraniano ainda não tenha garantido a segurança do comboio uma vez que este cruza o seu território.

No outro lado da passagem da fronteira russa ‘Donetsk’ está o posto ucraniano ‘Izvarino’, nas mãos dos separatistas pró-Rússia e o ponto mais provável por onde o comboio humanitário deverá entrar.

Conforme informou o comando militar ucraniano, ‘a carga irá a Lugansk’, cidade rebelde sitiada que está à beira da catástrofe humanitária, já que carece de água e luz desde há duas semanas e foi abandonada pela metade de seu quase meio milhão de habitantes. EFE