Ibovespa sobe com expectativa sobre cena eleitoral

No front doméstico, uma bateria de resultados trimestrais e notícias corporativas repercutia nos negócios, amparando forte alta das ações

São Paulo – A bolsa brasileira sinalizava encerrar o último pregão da semana em alta, em meio a expectativas de que as próximas notícias no cenário eleitoral reforcem as chances de segundo turno na corrida presidencial.

A deterioração no ambiente financeiro externo chegou a reduzir o ímpeto no mercado acionário doméstico, mas teve vida curta, conforme o índice norte-americano S&P 500 também se recuperava após alcançar a mínima da sessão com informações de forças ucranianas enfrentarem coluna russa de blindados.

No front doméstico, uma bateria de resultados trimestrais e notícias corporativas também repercutia nos negócios, amparando forte alta das ações, enquanto investidores se preparam para o vencimento dos contratos de opções sobre ações na segunda-feira.

Às 12h41, o Ibovespa avançava 1,2 por cento, a 56.456 pontos. O volume financeiro estava em 2,86 bilhões. Há grande expectativa em torno de pesquisa Datafolha prevista para ser divulgada a partir da próxima segunda-feira, assim como do anúncio do que ocorrerá com a candidatura presidencial do PSB, se o partido realmente indicará Marina Silva após a trágica morte do candidato Eduardo Campos.

“O mercado está comprando a ideia de que a Marina garante o segundo turno, mas ainda aposta que a disputa final ficará entre Aécio Neves e Dilma Rousseff”, disse o profissional de uma corretora no Rio de Janeiro.

Os papéis da Petrobras , que têm reagido à dinâmica eleitoral, apareciam entre as principais altas do Ibovespa.

Cena corporativa

As ações da MRV Engenharia exibiam forte alta um dia após a empresa divulgar lucro ajustado de 134 milhões de reais no segundo trimestre, acima das expectativas. Números trimestrais também beneficiavam as ações da Cesp , que teve alta de 85 por cento no lucro de abril a junho, e CPFL Energia, que reverteu prejuízo e lucrou 145 milhões de reais no período.

A Sabesp viu o lucro do segundo trimestre cair 16,4 por cento, com menores receitas e maiores gastos, refletindo a escassez que água que atinge o Estado mais populoso do país. Ainda assim, as ações da estatal paulista subiam.

As ações da JBS avançavam, mesmo após informar queda de 25 por cento no lucro trimestral. Em teleconferência, a maior processadora de carnes do mundo melhorou sua previsão de sinergias com a compra da Seara de 1,2 bilhão para 1,5 bilhão de reais.

Na ponta negativa, BRF liderava as perdas do Ibovespa após o presidente da companhia, Claudio Galeazzi, manifestar interesse em antecipar o início de seu processo de sucessão.